Serra exige empenho de militantes em sua pré-candidatura

Tucano diz que continua a articular antes de prévias e quer cabos eleitorais divulgando projetos dele concluídos na Prefeitura

FELIPE FRAZÃO, O Estado de S.Paulo

11 de março de 2012 | 03h05

O pré-candidato tucano José Serra cobrou ontem em encontro com apoiadores na Vila Jacuí, zona leste de São Paulo, empenho da militância para fortalecer a pré-candidatura nas prévias e sua campanha eleitoral para voltar à Prefeitura, seis anos depois de deixá-la para concorrer ao governo do Estado, em 2006. Serra disse que uma eleição se faz "de casa em casa" e que o voto se define a partir das recomendações de pessoas próximas.

Ele afirmou que continuará a articular, a visitar diretórios regionais e fazer contatos para arregimentar parceiros políticos.

Na opinião do ex-governador, os projetos implantados na administração dele na Prefeitura não são reconhecidos pelos paulistanos como feitos do PSDB.

"Fiz um teste em uma reunião e ninguém sabia que nós tínhamos feito o bilhete único do metrô", reclamou Serra.

Porém, o tucano também ouviu pedidos para dar mais atenção aos militantes. "Não despreze mais as bases. O baixo clero ficou de fora e tem voz", disse a Serra o militante Jaime Pereira, do diretório do PSDB de Itaquera, após garantir que votará em Serra. Questionado, o pré-candidato afirmou que não entendeu o que o militante afirmou

Pleito interno. Serra discursou para cerca de 300 integrantes dos diretórios tucanos da zona leste que apoiavam as pré-candidaturas dos organizadores do encontro, os secretários estaduais Bruno Covas (Meio Ambiente) e Andrea Matarazzo (Cultura). Mas que agora vão com Serra.

Matarazzo disse que as prévias fizeram o PSDB renascer e voltar às ruas e ao debate de ideias. Serra fez coro e afirmou que foi o primeiro a defender as prévias. "Ainda bem (que José Aníbal e Ricardo Tripoli não colocaram a candidatura à disposição), assim ninguém vai falar que suspendemos as prévias."

Parceria. Serra citou a importância de transmitir aos eleitores a boa relação que formará com o governo do Estado, para ele, "o grande parceiro para obras". Mesmo discurso que o pré-candidato Gabriel Chalita (PMDB) quer explorar, por ser próximo ao governador tucano Geraldo Alckmin.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.