Serra elogia Kassab e diz que talvez tome um chá com Alckmin

Governador de SP evitou comentar a razão de ainda não ter se engajado na campanha de seu partido na capital

Carolina Freitas, da Agência Estado

08 de agosto de 2008 | 17h49

O governador de São Paulo,  José Serra , uma das principais lideranças do PSDB, voltou a desconversar quando o assunto é a candidatura de seu correligionário Geraldo Alckmin à Prefeitura de São Paulo. Em evento oficial na zona Sul da Capital - reduto da candidata petista Marta Suplicy -, Serra elogiou a administração do prefeito e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), e evitou comentar a razão de ainda não ter se engajado na campanha de seu partido na Capital.     Veja Também: Pesquisa Ibope - São Paulo Perfil de Geraldo Alckmin Perfil de Gilberto Kassab Guia do eleitor esclarece dúvidas sobre o pleito   Questionado se seguiria o exemplo do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), que na quinta-feira tomou um café com Alckmin, Serra disse que "sempre toma" e talvez apareça para beber um chá com o candidato. E tentou minimizar ainda a cobrança que vem sendo feita pelas lideranças tucanas para que apóie efetivamente Geraldo Alckmin. "Cria-se uma ansiedade (com este assunto) que é bobagem", limitou-se a dizer.   O governador paulista participou, no início da tarde, de evento na estação Santo Amaro do Metrô, onde anunciou a ampliação de funcionamento da Linha 5-Lilás. Serra chegou a dizer que não responderia sobre Alckmin, para evitar "tirar o lead da questão do Metrô", utilizando-se de um termo jornalístico que se refere ao tema principal de uma reportagem. Mas aproveitou a oportunidade para tecer elogios à gestão de Kassab. "Uma boa engenharia de tráfego - como a que está sendo feita pela Prefeitura - terá resultados ainda mais significativos com o transporte sobre trilhos", disse.   Serra lembrou também que a Prefeitura investirá R$ 500 milhões no prolongamento da Linha 5 até a Chácara Klabin. "Essa é a iniciativa mais importante do Metrô, porque reúne recursos do Estado, da Prefeitura e financiamento externo", afirmou. "Isso mostra a prioridade que tem a região Sul da cidade." E classificou de positiva uma das mais polêmicas medidas para o trânsito instituídas por Kassab, o rodízio de caminhões.   Depois do anúncio, Serra percorreu de Metrô o trecho entre as estações Santo Amaro e Capão Redondo. Com um sorriso no rosto, conversou com passageiros e passou boa parte do trajeto em pé. Chegou a trocar de vagão em uma das estações para poder falar com mais usuários. Ao encontrar um casal com sua filha pequena, abaixou-se para conversar com ela e lhe deu um beijo. Quando o governador estava saindo do Metrô, um passageiro comentou que só em época de eleição o bairro recebe visitantes ilustres.   Ao lado de Serra estavam o vereador pelo PSDB Gilberto Natalini, um dos apoiadores da campanha de Kassab, e o deputado federal Arnaldo Faria de Sá, do PTB - partido que faz parte da coligação de Alckmin à Prefeitura. Enquanto isso, do outro lado da cidade, Kassab participava de um evento sobre amamentação da Coordenadoria de Saúde da Zona Leste, em Itaquera. E Alckmin enfrentava a chuva em uma caminhada pelo Bom Retiro, no Centro da cidade.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.