Paulo Liebert/AE
Paulo Liebert/AE

Serra diz que sem parceria com Estado 'obras não andam'

Candidato tucano visitou canteiro de obras do monotrilho que liga Vila Prudente à Cidade

Guilherme Waltenberg, de O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2012 | 18h38

O candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, José Serra, defendeu nesta terça-feira, 7, em visita ao canteiro de obras do monotrilho que liga a Vila Prudente à Cidade Tiradentes, na zona leste da capital, o fechamento de acordos entre município e Estado para realização de projetos. Para ele, grandes obras de transporte "necessariamente" demandam essa parceria. "Senão, não andam". O tucano, inclusive, atribuiu a sua chegada à Prefeitura, em 2005, à retomada das obras de transporte público. "Teve parceria (entre município e Estado, então governado pelo também tucano Geraldo Alckmin), por isso deflagrou (as obras)". O monotrilho é um projeto realizado com verbas da Prefeitura e do Estado, ambos governados por partidos aliados de Serra.

O candidato citou números para defender a construção de novas linhas de transporte sobre trilhos, como metrô, trem e monotrilho. "Hoje, quem faz esse percurso (do monotrilho) gasta entre duas e duas horas e meia. De monotrilho, irá gastar no máximo uma hora. Isso gera uma economia de, pelo menos, duas horas por dia, dez horas por semana, quarenta horas por mês. É uma semana de trabalho", afirmou. "Não tem salário indireto mais importante que economizar tempo", defendeu Serra. O tucano acrescentou que, além das quatro linhas de metrô hoje existentes, a cidade terá mais três a partir do ano que vem.

Sempre invocando a aliança com o governador Alckmin, que já chamou em outras ocasiões de o "segundo prefeito" da capital, Serra afirmou que, em uma eventual administração sua, "a Prefeitura terá parte em todas as obras" de transporte público.

Ao chegar ao canteiro de obras, Serra foi saudado por correligionários, como o ex-governador Alberto Goldman, o deputado Orlando Morando e o líder do PSDB na Câmara Municipal, vereador Floriano Pesaro. Ele tirou fotos de seu celular ("para colocar no Instagram", como explicou, em referência à rede social que partilha fotos tiradas por dispositivos móveis), e "vistoriou" as obras, portando, inclusive, capacete de proteção. Também estava presente o secretário de Esportes de São Paulo, Bebeto Haddad, do PMDB.

Após a visita, Serra seguiu para a Vila Zelina, também na zona leste, onde visitou uma padaria e ganhou um pastel de Belém e uma coxinha. Em seguida, foi a uma praça e continuou tirando fotos com o celular, ao mesmo tempo que conversava com populares.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012SPSerraparcerias

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.