Serra diz manter compromisso com prévia

Ex-governador afirma não trabalhar pelo fim da consulta, mas diz que não apelará à permanência de adversários no processo

BRUNO BOGHOSSIAN, ESTADÃO.COM.BR, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2012 | 03h07

Apesar de alguns de seus aliados defenderem reservadamente o cancelamento da prévia que escolherá o candidato do PSDB à Prefeitura de São Paulo, o ex-governador José Serra disse que mantém o compromisso de participar da disputa com José Aníbal e Ricardo Tripoli. "Mas também não vou fazer um apelo para que eles sigam", ponderou, logo em seguida.

Tucanos engajados na pré-campanha de Serra acreditam que seus adversários estão "isolados" após sua entrada na disputa. Eles usam como trunfo as declarações de apoio obtidas nos últimos dias, e pesquisas de intenção de voto que mostram o ex-governador no patamar de 30% e com rejeição em queda.

Parte dos serristas creem que, diante desse cenário, Aníbal e Tripoli podem desistir de concorrer. Os dois, no entanto, prometem ir até o fim.

O governador Geraldo Alckmin, que defende a candidatura de Serra, afirmou não interferir no processo. "A prévia está marcada para o dia 25 e não há nenhuma razão para qualquer alteração", afirmou.

Correligionários de Serra organizaram uma série de eventos para demonstrar a força de sua pré-candidatura. Com a agenda lotada, eles descartam a realização de debates com seus oponentes na disputa interna.

Desde que anunciou sua intenção de se candidatar à Prefeitura, Serra recebeu o apoio público de deputados estaduais, federais e vereadores da sigla. O objetivo é mostrar aos filiados, eleitores da prévia marcada para o dia 25, que o ele tem o amparo das principais lideranças do partido.

Nos próximos dias, Serra ainda será levado por aliados para eventos com militantes e pré-candidatos a vereador do PSDB.

Em campanha. O ex-governador participou ontem de um encontro com militantes que apoiavam a candidatura do secretário de Cultura, Andrea Matarazzo, antes que ele retirasse seu nome da prévia em favor de Serra.

Em seu discurso, o ex-governador ressaltou que foi "um dos primeiros a defender a realização da prévia".

"Apesar das mudanças provocadas por minha entrada, a prévia cumpre seu papel de mobilizar o partido", disse o ex-governador aos seus correligionários.

Ao falar sobre as realizações de gestões tucanas na Prefeitura e no governo de São Paulo, Serra citou o nome do secretário municipal do Meio Ambiente, Eduardo Jorge (PV), cotado para ser seu vice, caso sua candidatura se concretize. "O Eduardo Jorge é um grande quadro", afirmou.

Lideranças do PSDB presentes no evento apontaram o petista Fernando Haddad como principal adversário nas eleições deste ano, e atacaram o PT e a gestão da ex-prefeita Marta Suplicy.

"Estamos prontos para derrotar o PT e impedir que eles façam uma política devastadora para São Paulo. Não vamos deixar eles voltarem", afirmou Andrea Matarazzo.

Serra evitou críticas semelhantes. "Não sou candidato para derrotar o PT. Sou candidato para ser prefeito de São Paulo", afirmou o ex-governador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.