Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Serra critica taxas do PT; Haddad explora inspeção veicular

Tucano ataca impostos da gestão Marta Suplicy e a 'taxa do ônibus' de Haddad; petista quer acabar com taxa de vistoria de veículos

ISADORA PERON, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2012 | 03h09

A campanha do tucano José Serra, candidato a prefeito de São Paulo, começou a veicular neste fim de semana uma inserção na TV na qual acusa a gestão da petista Marta Suplicy (2011-2004) de criar taxas e aumentar impostos. "Marta e (Fernando) Haddad criaram a taxa de luz, a taxa do lixo, aumentaram o IPTU, o ISS e outros impostos."

Como o candidato do PT, Fernando Haddad, foi chefe de gabinete da Secretaria de Finanças quando Marta estava na Prefeitura, a estratégia da equipe tucana é ligar o nome dele ao da ex-prefeita, que na época foi apelidada de "Martaxa" pelos adversários.

Em entrevista à TV Estadão no fim de agosto, Haddad justificou a criação dos dois tributos dizendo que "houve uma encomenda do gabinete da prefeita" e que coube a ele executar a tarefa. Serra extinguiu a taxa do lixo quando assumiu a Prefeitura em 2005.

Em outro vídeo, publicado somente na internet, a campanha de Serra chama a proposta do petista de criar o Bilhete Único Mensal de "taxa do ônibus", pois o usuário iria pagar mesmo nos dias em que não usasse o transporte. Cobrar um valor único por mês para que as pessoas possam viajar quantas vezes quiserem é uma das apostas do plano de governo de Haddad.

O tema dos tributos municipais, no entanto, também tem sido explorado pela equipe do candidato do PT. Uma das primeiras promessas de Haddad foi acabar com a taxa de inspeção veicular na cidade. Esse é um assunto sensível ao prefeito Gilberto Kassab (PSD), aliado de Serra. Em novembro do ano passado, o Ministério Público do Estado de São Paulo pediu o afastamento de Kassab e do secretário municipal do Verde, Eduardo Jorge, sob acusação de fraude no contrato com a Controlar, empresa responsável pela inspeção na capital.

Haddad defende que é possível fazer a vistoria sem onerar o proprietário do automóvel. A inspeção sai hoje por R$ 44,36. Segundo ele, esses custos poderiam ser pagos com recursos do Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores (IPVA). Serra, por sua vez, diz que não há sentido em deixar de cobrar a taxa.

No horário eleitoral da tarde de ontem, Haddad voltou a apresentar o programa em que defende a utilização dos impostos "de maneira inteligente". O candidato prometeu reduzir impostos para atrair empresas para a periferia da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.