Serra celebra desempenho em debate; Haddad exalta 'clima de vitória'

Em programa eleitoral, tucano se disse vitorioso do primeiro embate na TV e petista repetiu mote de que eleitor quer 'mudança'

Guilherme Waltenberg, da Agência Estado

19 de outubro de 2012 | 13h33

SÃO PAULO - Enquanto o programa de rádio do candidato do PSDB a prefeito de São Paulo, José Serra, desta sexta-feira, 19, comemorou "vitória" no debate realizado na noite dessa quinta-feira, 18, na TV Bandeirantes, o candidato do PT, Fernando Haddad, celebrou o "clima de vitória" de sua campanha. Haddad não citou o debate no rádio. O programa eleitoral foi ao ar entre 12h e 12h20.

O programa de Haddad veiculou trechos de falas do ministro em uma visita à zona sul. "O clima de vitória tomou conta da zona sul", afirmou um narrador que acompanhava o candidato. "É hora da mudança", ressaltou o petista, que usa o mote do "novo" nesta campanha. Durante seu programa, narradores explicaram a ideia do "arco do futuro", um dos carros-chefes do plano de governo de Haddad, que propõe a descentralização da capital mediante incentivos fiscais nos arredores do município. "A mudança vai ser grande; temos muitas ideias novas e viáveis", afirmou Haddad.

Já o programa de Serra veiculou trechos do debate e foi aclamado pelos narradores como o "grande vencedor". "Ele apresentou propostas e não baixou o nível", disse uma narradora. Foram mostrados trechos de falas do tucano apresentando propostas para a segurança, como aumentar a integração entre Polícias Militar (PM) e Polícia e Guarda Civil Metropolitana (GCM) e ampliar a Operação Delegada - o "bico oficial'' em que policiais militares trabalham para a Prefeitura nas horas vagas. Foi dado destaque também à saúde, ensino técnico e atenção às pessoas com deficiência.

O programa do tucano também retomou o "mantra" de que o adversário petista foi o "pior ministro da Educação da história do Brasil". "Você sabia que a Universidade Federal de Guarulhos, inaugurada por Haddad em 2007, não tem sede?", questionou um narrador. "(Eles) já anunciaram que não vai ter vestibular em 2013. Essa é a universidade de Haddad, o pior ministro da Educação da história do Brasil", afirmou o outro. O programa terminou com uma música ironizando o candidato do PT a prefeito de São Paulo: "Haddad, não adianta espernear, sete anos de ministro e não tem nada para mostrar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.