Senador Cícero Lucena demite assessor que viajou por conta de doleiro

Exoneração acontece dois dias após 'Estado' revelar que Luiz Paulo Oliveira foi a SP com passagens pagas pelo doleiro Alberto Youssef. Senador, do PSDB, afirma que desconhecia viagem

Andreza Matais , O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2014 | 21h20

BRASÍLIA - O senador Cícero Lucena (PSDB-PB) exonerou nesta quinta-feira, 11, o servidor Luiz Paulo Oliveira dois dias depois de o Estado revelar que o assessor viajou a São Paulo com passagens aéreas pagas pelo doleiro Alberto Youssef. Segundo a assessoria do senador, Lucena decidiu demiti-lo por considerar que ele usou seu nome ao deixar com pessoas da confiança do doleiro os contatos do gabinete.

Oliveira, que trabalhava no gabinete de Lucena desde 2007, entregou uma carta ao senador na qual afirma que vai procurar a Polícia Federal para prestar esclarecimentos sobre a viagem. Ao Estado, ele admitiu ter recebido o bilhete aéreo, mas "não se lembra de quem". Segundo ele, o assunto tratado em São Paulo foi captação de recursos de fundos de pensão municipais para uma empresa de Youssef. Oliveira afirma não ter relatado a viagem ao senador por não ter "dado em nada".

A contadora do doleiro Alberto Youssef, Meire Poza, afirmou à Polícia Federal que prefeitos que investiram nesse fundo receberam 10% do valor aplicado como propina. O mesmo porcentual teria sido oferecido a deputados e senadores que conseguissem investimentos. A empresa dela, Arbor Assessoria Contábil, faturou os bilhetes aéreos. 

Além de Luiz Paulo, também recebeu a passagem aérea de Brasília a São Paulo ida e volta o assessor do senador Ciro Nogueira (PP-PI). Mauro Conde Soares também foi exonerado pelo senador. Nogueira afirmou que não tinha conhecimento do envolvimento do seu assessor com o esquema de Youssef. O assessor trabalha com ele desde o início do mandato na área de orçamento.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesCícero Lucena

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.