Senado acaba com aposentadoria paga de juiz infrator

O plenário do Senado aprovou ontem proposta de emenda à Constituição (PEC) que acaba com a aposentadoria compulsória para todos os juízes e promotores infratores.

Débora Alves, O Estado de S.Paulo

07 de agosto de 2013 | 02h17

Por 64 votos favoráveis e nenhum contra, no primeiro turno, e 62 a 0, no segundo, os senadores confirmaram o texto discutido antes do recesso, com uma emenda que amplia as possibilidades de punição para quem tiver cometido crime ou desvio de conduta na carreira.

Se já vigorasse, a proposta evitaria as chamadas "aposentadorias-prêmios". Impediria, por exemplo, que o ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça Paulo Medina se aposentasse em 2010 recebendo R$ 25.386,97 mensais. A matéria, elencada pelo presidente Renan Calheiros como prioritária, vai para a análise da Câmara.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.