SEM BARBA, LULA ACABA COM MARCA DE UMA ERA

Para tratar o câncer, ex-presidente se antecipa à químio, muda visual e raspa também a cabeça

JULIA DUAILIBI, O Estado de S.Paulo

17 de novembro de 2011 | 03h02

Em 2002, na campanha eleitoral para a Presidência, o candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, subiu num caminhão em Rio Branco, no Acre, e para um público de 7 mil pessoas falou sobre o "medo" que a sua barba despertava em setores da sociedade.

"Nem sei quantas pessoas eram inimigas minhas, tinham medo da bandeira vermelha do PT, da estrela do partido, da minha barba", contou Lula. "O tempo vai passando, todo mundo evolui, e hoje o PT é um partido mais preparado e calejado", concluiu.

A diminuição da resistência a Lula, exposta no discurso, permitiu que o petista não só chegasse ao poder como levasse com ele símbolos de sua trajetória política, como a barba e a estrela do PT que usou na lapela do terno, ao lado do broche com a bandeira do Brasil.

Ontem, depois de 32 anos usando barba, Lula despediu-se da imagem que o consagrou como uma das principais figuras políticas do mundo. Foi por volta das 16 horas, no apartamento em São Bernardo do Campo, na presença da mulher, Marisa Letícia, e de Ricardo Stuckert, fotógrafo da Presidência nos anos em que governou o País.

Lula faz quimioterapia para combater câncer na laringe e se antecipou aos efeitos do tratamento, que causam a queda dos fios. Marisa foi a responsável pela nova imagem: usou máquina para deixar o cabelo curto e depois passou lâmina de barbear, na cabeça e no rosto. Restou apenas um bigode, o que deu ao petista "ares de Frei Chico", segundo amigos e familiares, em referência a um dos irmãos de Lula.

Duas imagens do ex-presidente sem barba foram divulgadas pelo Instituto Cidadania, ONG ligada a ele. Nelas, Lula sorri, enquanto Marisa usa a lâmina, vestindo camiseta da campanha de combate ao câncer de mama.

As primeiras imagens de Lula com barba são de 1979, época em que liderava as greves na região do ABC paulista. O visual lhe rendeu o apelido de "sapo barbudo", dado por Leonel Brizola, na campanha presidencial de 1989.

A presidente Dilma Rousseff ligou ontem para Lula e, segundo o Planalto, o apoiou na decisão, anunciada a amigos na véspera, de se antecipar à químio.

Comentários sobre a barba de Lula inundaram o Twitter. "Dona Marisa nos TTs Brasil. Uia.", disse um filho do petista sobre o nome da mãe entre os mais citados na rede. "Fez barba e cabelo, e o bigode será em 2012, na eleição", afirmou o deputado Ricardo Berzoini (PT). Circulou a informação de que a Gillette oferecera a Lula dinheiro para usar seu produto. A empresa negou ter feito uma oferta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.