Sem acordo sobre vice e chapa, PSDB esvazia convenção

Ainda sem acordo sobre a escolha do vice de José Serra e a formação de uma chapa única de vereadores com partidos aliados, o PSDB paulistano abriu uma brecha para delegar as duas decisões a sua cúpula, depois da convenção marcada para domingo.

O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2012 | 03h06

A equipe de campanha tenta chegar a uma definição sobre os temas nos próximos dias, mas o edital da convenção assinado ontem e que será publicado amanhã permite que o partido adie as decisões para o dia 30 de junho e as coloque a cargo dos 18 integrantes da executiva municipal.

Falta acordo sobre a coligação na eleição para vereador. Os partidos que declararam apoio a Serra exigem a formação de uma chapa única, mas sofrem resistência de grupos tucanos. Aliados do pré-candidato acreditam que a aliança pode ser barrada se for levada a votação na convenção de domingo.

Os tucanos também aguardam o julgamento do Supremo Tribunal Federal que vai determinar se o PSD, do prefeito Gilberto Kassab, terá direito a uma fatia maior do fundo partidário e da propaganda eleitoral na TV.

Uma decisão pode ser tomada na quinta-feira. Caso o PSD vença, ganhará peso para exigir a vice e indicar o ex-secretário Alexandre Schneider. Nesse cenário, o DEM perderia espaço na TV e no fundo partidário. Se o PSD for derrotado, o DEM vai insistir na indicação de Rodrigo Garcia para a vice. / B.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.