Seis são presos por suspeita de compra de votos em MG

PF não revelou nomes dos presos nem dos candidatos envolvidos no crime; inquérito deve ser concluído até semana que vem

Marcelo Portela, de O Estado de S. Paulo

28 de setembro de 2012 | 16h41

Seis pessoas foram presas nesta sexta-feira, 28, suspeitas de comprarem votos por R$ 50 em Araguari, no Triângulo Mineiro. Além das prisões, realizadas com base em ordens judiciais, agentes da Polícia Federal e policiais militares mineiros também executaram oito mandados de busca e três de condução coercitiva, que significa levar um acusado ou testemunha para prestar depoimento, contra eleitores do município.

A operação conjunta envolvendo 15 agentes federais e 32 militares foi desencadeada nesta sexta-feira, 28, após uma série de denúncias anônimas às duas corporações. Os policiais fizeram buscas em um bar, um lava-jato e em seis residências e apreenderam listas com vários nomes e números de títulos de eleitor. Segundo o delegado Émerson Aquino, chefe da PF em Uberlândia, também no Triângulo Mineiro, os donos dos documentos ainda vão ser chamados para depor. Os três eleitores alvos dos mandados de condução coercitiva foram liberados após serem ouvidos.

As investigações tiveram início há pouco mais de duas semanas e, segundo o delegado, o inquérito deve ser concluído até "no máximo, o meio da semana que vem". A PF não revelou os nomes dos presos nem os candidatos que seriam beneficiados com a compra de votos, mas informou que, caso a ilegalidade seja comprovada, além do crime eleitoral, que prevê até quatro anos de prisão, os suspeitos podem ser processados também por formação de quadrilha na Justiça comum..

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012compra de votosMG

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.