Secretaria assinou convênio com entidade ligada à Força Sindical

Contrato de R$ 100 mil foi o único firmado até agora por Carlos Ortiz, secretário do Trabalho indicado por Paulinho

O Estado de S.Paulo

19 de julho de 2012 | 03h05

A Secretaria de Emprego e Relações do Trabalho assinou em 2012 um convênio com o Centro de Memória Sindical, ligado à Força Sindical, para promover o Momento Itália-Brasil, uma exposição de fotos realizada no centro da capital paulista.

Segundo informações públicas disponíveis no Portal da Transparência do governo do Estado, o convênio no valor de R$ 100 mil foi o único firmado até agora pelo sindicalista Carlos Ortiz, indicado ao cargo de secretário de Emprego e Relações do Trabalho pelo candidato do PDT à Prefeitura, deputado Paulo Pereira da Silva.

Ortiz assumiu a secretaria em março deste ano. No dia 2 de maio, o Tesouro estadual liberou a primeira metade do valor do convênio, R$ 50 mil.

O presidente do Centro de Memória Sindical, o sindicalista Milton Cavalo, é secretário de Cultura e Memória Sindical da Força Sindical e diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Osasco.

Na abertura da exposição, em maio, esteve João Carlos Gonçalves, o Juruna, que é secretário-geral da Força Sindical e um dos maiores aliados de Paulinho.

Com os recursos liberados no convênio firmado com a secretaria, foi organizada a exposição, que tinha como tema "A participação italiana na organização operária e sindical brasileira".

De acordo com informações da Secretaria de Emprego e Relações do Trabalho, a mostra "foi idealizada sob a missão de resgatar de uma forma geral a importância da participação italiana nas atividades sindicais e operárias da história social brasileira".

Questionado pelo Estado sobre o convênio, o governo afirmou que, apesar de Ortiz ter assinado o processo e liberado os recursos, a decisão de liberar as verbas para o Centro de Memória Sindical foi tomada durante a gestão do sindicalista David Zaia (PPS), que foi o secretário do Trabalho de 2011 até março. A assessoria de imprensa de Zaia afirmou que o projeto começou a ser desenvolvido em 2011 e foi aprovado por um grupo de trabalho criado pelo governo do Estado. A proposta da exposição foi desenvolvida durante sua gestão, apesar de o convênio ter sido assinado pelo sucessor.

Ontem, Paulinho afirmou que a Força Sindical, entidade da qual é presidente licenciado, não tem nenhum convênio com os governos municipal, estadual ou federal.

Memória. Ortiz também foi à abertura da exposição promovida pelo Centro de Memória Sindical, entidade criada em 1981. "A maior conquista é podermos estar aqui no centro da cidade e ter a oportunidade de abrir este acervo", disse Ortiz na ocasião.

O extrato do convênio, publicado no Diário Oficial do dia 18 de abril, afirma que poderão ser firmados "termos de aditamentos, quantos forem os projetos e atividades considerados por ambas as partes de interesse ou conveniência comum, dentro da finalidade aqui definida". / BRUNO BOGHOSSIAN E JULIA DUAILIBI

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.