'Se grita com presidenta, pode pisar em pobre’, afirma Lula sobre Aécio

'Se grita com presidenta, pode pisar em pobre’, afirma Lula sobre Aécio

Ex-presidente reclama de agressividade de tucano - de quem já se disse amigo - diante de Dilma em debates

Marcos Moraes , Especial para O Estado de S. Paulo

17 Outubro 2014 | 21h09

MANAUS - Se na primeira passagem por Manaus nestas eleições o ex-presidente Lula chamou os adversários da presidente Dilma Rousseff de amigos, desta vez o petista não poupou críticas ao candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves. Em comício de apoio ao candidato a governador Eduardo Braga (PMDB), ele chamou o tucano de “ignorante” e citou o polêmico caso do aeroporto construído em terreno do tio de Aécio, em Cláudio, Minas Gerais.

“Esse País tem que decidir entre um candidato que tem o caráter da Dilma e faz reformas no aeroporto de São Paulo, no de Recife, no de Ipatinga, no aeroporto de Manaus e entrega para o povo, ou se querem um candidato que faz um aeroporto na casa do seu tio. Essa é a diferença”, discursou Lula anteontem à noite, em comício realizado na zona norte da capital amazonense.


O ex-presidente adotou um tom mais agressivo no fim do comício, que atrasou em duas horas e durou menos de uma. E prosseguiu. “Quando eu vejo um homem ser ignorante com uma mulher como ele tem sido com a Dilma no debate, eu fico pensando: se esse cidadão é capaz de gritar com uma presidenta, fico imaginando o dia que ele encontrar um pobre na frente dele. É capaz dele pisar e não respeitar”, complementou.

No último dia 11 de setembro, Lula veio a Manaus pela primeira vez no período eleitoral para apoiar a campanha de Eduardo Braga. Na ocasião, o líder do PT chegou a dizer que Aécio Neves e os demais candidatos adversários da atual presidente eram “amigos”.

Na ocasião, o ex-presidente explicava o motivo que o havia levado a escolher a então candidata Dilma Rousseff ao Palácio do Planalto, e não outros nomes, na campanha eleitoral de 2010. “Eu sou amigo do Aécio (Neves), sou amigo da Marina (Silva), sou amigo da Dilma, sou amigo da Luciana Genro, sou amigo do Zé Maria”, disse. “Ela (Dilma Rousseff) foi escolhida para cuidar de uma família de 200 milhões de pessoas”, explicou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.