'Se for meia dúzia, ela que diga os nomes', cobra AMB

O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), desembargador Nelson Calandra, desafiou a ministra Eliana Calmon a revelar quem são os "vagabundos" da toga. Calandra representa o núcleo mais duro e conservador do Judiciário. Ele disse que a AMB "não aceita essa pecha (vagabundo) para nenhum magistrado".

O Estado de S.Paulo

29 de fevereiro de 2012 | 03h07

"Se for meia dúzia, ela que diga os nomes e os exclua da carreira. Ela que proponha a exclusão", reagiu Calandra. "Ela já declinou o número (de vagabundos), o problema é fácil de solucionar", provoca. "É uma declaração infeliz, que não retrata a realidade da magistratura. Onde está essa meia dúzia? Quem são eles? A ministra deve dizer." Ele ironizou Eliana. "Juiz não é bom comunicador, de vez em quando sai alguma coisa fora do tom. Essa é mais uma. Não há lugar para corrupção, nem para leniência, nem para falta de produção na magistratura." / FAUSTO MACEDO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.