Divulgação
Divulgação

São Pedro dos Crentes é o único município no Maranhão que deu vitória a Aécio

'Somos uma pequena cidade inteligente', diz eleitor tucano da cidade que tem 4 mil habitantes. Aécio venceu por uma diferença de 5 votos

Julia Affonso, O Estado de S. Paulo

27 de outubro de 2014 | 10h08

A vitória da presidente Dilma Rousseff (PT) só não foi total no Maranhão - Estado onde ela recebeu o maior porcentual de votação no País - porque ela perdeu em um município, por uma diferença de cinco votos: São Pedro dos Crentes. Aécio Neves (PSDB) teve 50,10% dos votos válidos, com o apoio de 1.256 dos eleitores, contra 49,90% da petista, com 1.251.

A cidade de 4 mil habitantes fica no sul do Estado, a cerca de 650 quilômetros da capital São Luís. O comerciante Urias Castro de Souza, de 54 anos, afirma ter votado em Aécio, por causa das notícias de corrupção relacionadas ao governo do PT.

"A gente vê as fraudes nos jornais. E em todos os setores. Hoje, nós somos uma pequena cidade de pessoas inteligentes", diz. O comerciante conta que quase não houve campanha de nenhum dos candidatos no município, que vive de agropecuária. A atual prefeita de São Pedro dos Crentes é Luíza Coutinho, do PSDB.


No Maranhão, Dilma teve 78,76% dos votos válidos, contra 21,24% de Aécio. A petista recebeu votos de 2.475.762 eleitores, enquanto o tucano levou 667.517.

Recorde. O município brasileiro que mais votou na presidente fica no lado oposto a São Pedro dos Crentes. Belágua, um município de cerca de 7 mil pessoas, no norte do Estado, deu o maior porcentual de votos à Dilma no País. Na cidade, a petista atingiu 93,93% dos votos válidos, contra 6,07% do tucano. O autônomo Raimundo Rodrigues de Souza, de 50 anos, ajudou a reeleger a presidente Dilma. Ele foi um dos 3.558 eleitores da petista na cidade maranhense.

"Sempre procurei ajudar o Lula e a Dilma. Apesar de eles nunca terem vindo aqui, ajudam demais", afirmou. "Ela dá prioridade ao pobre e à pessoa carente."

Segundo ele, há muitos beneficiários do Bolsa Família na cidade, que vive da lavoura, da pesca. Ele afirma não receber o benefício. "O povo da Belágua colocou na cabeça que vai manter ela no poder para ajudar no combate à pobreza", explica.

O lado tucano da cidade, que deu 230 votos a Aécio, contou com o apoio do pedreiro José Raimundo da Silva Vale, de 30 anos. "Não sei se ele seria um presidente melhor que Dilma. Mas ela teve o apoio da família Sarney, e eu quero que eles saiam do poder." 

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesAécio Neves

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.