Saída de marqueteiro é mais um golpe na campanha de Alckmin

O marqueteiro Lucas Pacheco deixou acampanha do candidato do PSDB à prefeitura paulistana, GeraldoAlckmin, em mais um capítulo de uma candidatura que vemperdendo terreno junto ao eleitor. Ele será substituído pelopublicitário Raul Cruz Lima. "Foi uma opção dele (Lucas). A gente já estava colocando oRaul para ajudar", disse à Reuters nesta quarta-feira ocoordenador-geral da campanha tucana, deputado Edson Aparecido(SP), para quem a comunicação vinha sofrendo "um pouco" durantea campanha. "Agora é bola para frente", completou, contando que Alckmingravou programa eleitoral nesta manhã. Questionado se a propaganda de rádio e TV, principal áreade atuação dos marqueteiros, vai partir para o confronto diretocom o prefeito e candidato Gilberto Kassab (DEM), Aparecido foivago. "Vamos apontar os desafios que a cidade apresenta",disse. A primeira tarefa de fôlego do novo maqueteiro seráconduzir o candidato no debate da TV Bandeirantes, nestaquinta-feira à noite. Ele vai enfrentar os jornalistas JoãoSantana, que atua junto à candidata do PT Marta Suplicy, e LuizGonzalez, que trabalha com Kassab mas desempenhou a mesmafunção com Alckmin por três campanhas, entre elas apresidencial de 2006. Depois de ter ensaiado críticas à áreas de saúde e educaçãoda prefeitura, como reação à queda nas pesquisas, Alckminrecuou por pressão de tucanos que defendem a candidaturaKassab. Os ataques teriam como alvo o próprio PSDB eespecificamente o governador José Serra, que esteve à frente daprefeitura até 2006, quando seu vice assumiu o posto mantendo amaior parte da equipe. Sem se opor ao prefeito e disputando o mesmo eleitor,Alckmin sofre com a falta de discurso e está tecnicamenteempatado com Kassab na mais recente pesquisa Datafolha. Otucano tem 22 por cento de intenção de voto e Kassab, 18 porcento, enquanto Marta aparece isolada na liderança com 40 porcento. No início de julho, Alckmin tinha 31 e Kassab, 13. A campanha aposta em jantar na noite desta quarta-feira, nasede social do Jockey Club, em que Alckmin receberá pelaprimeira vez em público o apoio do governador Serra. Oex-presidente Fernando Henrique Cardoso também estará presente. Organizado para levantar recursos para a campanha, o jantartem cerca de 300 convites ao custo de 1 mil reais cada um.(Reportagem de Carmen Munari)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.