Russomanno volta à TV e diz que é candidato em 2014

Ex-candidato a prefeito pelo PRB reestreia na Rede Record e avisa que pretende se candidatar na próxima eleição

RICARDO CHAPOLA , O Estado de S.Paulo

26 de novembro de 2012 | 02h08

Derrotado no primeiro turno da disputa pela Prefeitura de São Paulo, o ex-deputado Celso Russomanno (PRB) marca sua volta à televisão hoje e já adianta que será candidato em 2014 pelo seu partido. Russomanno, no entanto, diz que ainda discute com a cúpula partidária que cargo pleiteará nas próximas eleições.

"Sou candidato em 2014. O cargo que vou ocupar ainda não está definido", afirmou Russomanno ao Estado. Segundo interlocutores, o projeto político inicial do PRB era lançar a candidatura de Russomanno para a Câmara dos Deputados com o objetivo de puxar votos para a sigla e aumentar a bancada do partido - e não lançá-lo numa disputa majoritária.

A cúpula do PRB analisa apoiar a reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB) em 2014. A direção do partido mantém contatos com o tucano a já foi recebida por Alckmin no Palácio dos Bandeirantes mais de três vezes neste ano. A legenda pode, inclusive, ganhar espaço no secretariado do governador, que começou a fazer alterações na sua equipe de olho em melhorar o desempenho da máquina e costurar apoios para a reeleição.

O PRB, no entanto, compõe a base governista da presidente Dilma Rousseff (PT). Controla o Ministério da Pesca, com Marcelo Crivella (PRB-RJ). Assim, o partido também está sujeito a pressões para apoiar a reeleição de Dilma e o candidato petista ao governo paulista em 2014, Na corrida em São Paulo, Alckmin quer evitar que Russomanno e o seu capital político, adquirido durante a campanha deste ano, apoiem o PT. Por isso, mantém negociações com o partido para a participação no seu governo.

A avaliação hoje entre os tucanos é a de que Russomanno não deve sair candidato ao governo paulista na próxima eleição. O ex-deputado se encontrou com o governador no começo de outubro, mas disse não ter conversado sobre política nem negociado cargos na máquina.

Eleição. Quando terminou o 1.º turno, Russomanno foi procurado tanto por tucanos quanto por petistas para apoiar os candidatos que haviam passado para o segundo turno, José Serra e Fernando Haddad, respectivamente. Na ocasião, o candidato derrotado do PRB optou por se declarar neutro.

Integrantes do PSDB, porém, afirmaram que o ex-deputado tinha interesse em tocar a Secretaria de Segurança do Estado. Alckmin não abriu negociações para o cargo, alegando que se tratava de uma posição muito estratégica.

Em seu retorno à televisão hoje, Russomanno reassume o quadro Patrulha do Consumidor, veiculado no Programa da Tarde, da Rede Record. Antes de se candidatar à Prefeitura de São Paulo, o quadro integrava outro programa, o Balanço Geral, transmitido pela manhã.

Na semana passada, Russomanno postou uma foto no Facebook com a seguinte mensagem: "Estou voltando com força total! Agora com meus amigos do Programa da Tarde, da Record. Quem está feliz como eu, curte a foto e compartilha!", escreveu.

Líder das pesquisas de intenção de voto durante quase todo o primeiro turno, a campanha de Russomanno sucumbiu após brechas deixadas em sua proposta de implantar uma tarifa proporcional à distância percorrida no transporte público da capital.

A ideia foi bombardeada pelos seus adversários, principalmente por Haddad, que precisava dos votos de potenciais eleitores de Russomanno para chegar ao segundo turno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.