Russomanno vira dono de bar 'sem gastar nada'

Candidato afirma que vai pagar aquisição de estabelecimento trabalhando como administrador do local

ALANA RIZZO / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2012 | 10h07

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, é sócio majoritário de um bar em Brasília sem ter gasto, segundo ele próprio, nenhum real.

A aquisição do estabelecimento às margens do Lago Paranoá foi responsável pelo aumento de 100% de seu patrimônio entre 2010 e 2012 - passou de R$ 1,1 milhão para R$ 2,2 milhões, segundo declarações entregues ao Tribunal Superior Eleitoral.

Em entrevista ao Estado, Russomanno explicou assim sua participação no Bar do Alemão, o negócio que duplicou seus bens: "Ainda não coloquei dinheiro. Vou é administrar. O meu capital será integralizado conforme o passar dos anos e à medida que o dinheiro for entrando". O bar será inaugurado após a eleição. Russomanno não disse como conciliaria a "administração do bar" e a da cidade, caso seja eleito.

Segundo os registros da Junta Comercial do Distrito Federal, o candidato é responsável por R$ 1,1 milhão do capital de R$ 4,2 milhões do bar e restaurante - maior cota do empreendimento.

A operação financeira para tirar o projeto do papel contou com recursos de outros investidores. A principal sócia do candidato do PRB, Luna Gomes, é filha do primeiro secretário da Câmara, Eduardo Gomes (PSDB-TO).

Com patrimônio declarado de R$ 481 mil, Gomes disse ter recorrido a "economias pessoais, venda de patrimônio e empréstimo bancário" para entrar com R$ 1 milhão no negócio. Para o deputado, trata-se de "uma oportunidade de investimento".

Russomanno diz que é amigo de longa data do tucano. Também figuram como sócios Angelo Daldegan de Oliveira, Hebert Steiner e outras duas empresas: a Yellowwood Consultoria e a Unialimentar Comércio e Serviços de Alimentos Ltda. "Divulga mesmo porque, quando inaugurar, quero o bar lotado. Preciso mostrar para meus sócios que era mesmo um bom investimento", comentou Russomanno.

O candidato diz que, durante os 17 anos que passou em Brasília como deputado, percebeu o potencial da cidade. "A sociedade surgiu a partir de uma grande oportunidade de negócio. Sou empresário e amigo do Steiner (proprietário do Bar do Alemão em Itu), que já tinha demonstrado vontade de sair de São Paulo. Brasília tem muito potencial para restaurantes."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.