Russomanno sobe e consolida liderança; Serra e Haddad mantêm empate técnico

O candidato Celso Russomanno (PRB) ampliou sua vantagem sobre os adversários na corrida pela Prefeitura de São Paulo, segundo a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo. Em duas semanas, ele passou de 31% para 35%, enquanto José Serra (PSDB) e Fernando Haddad (PT) oscilaram um ponto porcentual para baixo e mantiveram o empate técnico na segunda colocação, com 19% e 15%, respectivamente.

DANIEL BRAMATTI, O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2012 | 10h13

Em eventual segundo turno entre Russomanno e Serra, o primeiro venceria por 52% a 25% se a eleição fosse hoje. Se o adversário do líder fosse Haddad, o placar seria 50% a 25%. O representante do PT venceria o do PSDB por 37% a 33% no confronto direto.

O candidato do PRB está em ascensão desde a pesquisa Ibope feita na primeira quinzena de agosto, às vésperas do início da propaganda eleitoral de rádio e TV, quando obteve 26% e apareceu empatado com Serra.

Ele conseguiu crescer 9 pontos porcentuais em um mês mesmo tendo aproximadamente um quarto do tempo dos adversários no horário eleitoral.

Já o tucano está em trajetória de queda desde antes do início da campanha na TV, mas conseguiu evitar ser ultrapassado pelo adversário do PT, a quem escolheu como alvo preferencial de ataques. Haddad havia subido cinco pontos entre a metade e o fim de agosto, impulsionado por sua estreia na TV, mas perdeu fôlego nos últimos 15 dias.

Por regiões. A pesquisa mais recente revela que, nas regiões da cidade nas quais candidatos do PT venceram nas últimas três eleições majoritárias (para presidente, governador e prefeito), nada menos que 40% dos eleitores indicam Russomanno como seu preferido. É o dobro da taxa obtida por Haddad. Nas mesmas áreas, Serra tem apenas 10%.

Nas zonas antipetistas, onde o partido perdeu nas últimas três eleições, o candidato do PRB também está na frente, mas com índice menor: 31%. O tucano vem em seguida, com 25%, e Haddad aparece com 12%.

Entre os protagonistas da campanha, o candidato do PT é ainda o mais desconhecido. Apenas 52% dos entrevistados afirmam conhecê-lo ou ter alguma informação sobre ele. No caso de Serra e Russomanno, esses índices chegam a 75% e 70%.

Haddad é mais conhecido nas zonas anti-PT (55%) do que nas zonas pró-PT (48%). A desinformação sobre ele é maior entre os eleitores mais pobres - dos que ganham até dois salários mínimos, apenas 42% afirmam conhecê-lo.

Novato em eleições, o petista é o que mais depende do horário eleitoral para conquistar simpatizantes. Mas o universo que consegue atingir ainda é limitado: 57% dos ouvidos pelo Ibope afirmaram que ainda não assistiram às propagandas de campanha.

Pela primeira vez, a maioria absoluta (51%) dos pesquisados indicou Russomanno como favorito para vencer a eleição. Para outros 20%, é Serra quem deve vencer. Haddad tem a terceira maior expectativa de vitória: 14%.

O candidato tucano é o líder no quesito rejeição - 38% afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. O representante do PT é rejeitado por 17%, e Russomanno, por 12% dos eleitores.

Na pesquisa espontânea, na qual o entrevistado indica sua preferência antes de ler a lista de candidatos, Russomanno tem 27%, Serra, 15%, e Haddad, 13%.

Registro. O Ibope ouviu 1.001 eleitores entre os dias 10 e 12 de setembro. O levantamento, que tem margem de erro de três pontos porcentuais para mais ou para menos, foi registrado na Justiça Eleitoral sob o protocolo SP-00835/2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.