Russomanno se mantém em alta e já encosta em Serra

Segundo Datafolha, tucano tem 30% das intenções de voto em São Paulo e candidato do PRB, 26%; Haddad obtém 7% em levantamento

O Estado de S.Paulo

22 de julho de 2012 | 03h05

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, se mantém em alta nas pesquisas de intenção de voto e já aparece tecnicamente empatado com o tucano José Serra, de acordo com levantamento do Datafolha realizado entre 19 e 20 de julho.

Segundo o instituto, Russomanno tem 26% das intenções de voto, dois pontos porcentuais a mais do que os números aferidos no final de junho. Serra dispõe de 30%, numa oscilação negativa de um ponto porcentual.

A pesquisa tem margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos.

O candidato do PT, Fernando Haddad, oscilou um ponto para cima em relação a junho e aparece agora com 7%, mesmo índice atingido por Soninha Francine (PPS). Gabriel Chalita (PMDB) tem 6% e Paulinho da Força, 5%.

Russomanno teve forte exposição na TV Record durante o período pré-eleitoral como apresentador de um quadro de defesa do consumidor. A TV é controlada pela Igreja Universal do Reino de Deus, ligada ao PRB. Ontem ele comemorou o resultado da pesquisa. "É um trabalho de formiguinha", disse o candidato.

Rejeição. Apesar de liderar as pesquisas de intenção de voto duas semanas após o início oficial da campanha, José Serra é o candidato à Prefeitura de São Paulo que mais sofre com a rejeição dos eleitores. Segundo o Datafolha, não votariam no tucano de jeito nenhum 37% dos entrevistados. O segundo candidato com maior rejeição dos paulistanos é Paulinho da Força, com 21%. Depois vêm Soninha, com 19%, Fernando Haddad e Russomanno, ambos com 12%, e Chalita, com rejeição de 8%.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, padrinho político de Haddad, continua sendo o apoiador que mais ajuda um candidato (40% votariam no nome indicado por ele). Já o ex-prefeito Paulo Maluf, também apoiador do petista, é o que mais retira votos. O apoio do prefeito e afilhado político de Serra, Gilberto Kassab (PSD), também estimula o eleitor a deixar de votar num candidato. Pelo Datafolha, Kassab tem sua avaliação mais baixa desde 2007. Ele recebeu nota 4,4 da população.

Campanha na TV. Em agenda de campanha no extremo sul da cidade, Serra falou pouco sobre a pesquisa. "Tem muita coisa para acontecer ainda. O horário eleitoral ainda não começou. Vamos batalhar pela liderança."

Também em agenda na zona sul, Fernando Haddad citou, assim como Serra, os programas eleitorais de TV, que começam a ser veiculados no fim de agosto.

Segundo o candidato petista, a pesquisa indica que o paulistano quer "mudar", e como Russomanno é o nome mais conhecido entre os candidatos de oposição, ele acaba beneficiado. " Essa percepção de que a cidade quer mudança está muito cristalizada na pesquisa pela rejeição ao prefeito e ao candidato (do PSDB)."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.