Reprodução
Reprodução

Russomanno cita morte de primeira mulher em propaganda na TV

Como na campanha de 2016, candidato falou sobre episódio para prometer melhorias na saúde

Bianca Gomes, O Estado de S.Paulo

13 de outubro de 2020 | 22h14

O candidato à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno (Republicanos), citou a morte de sua primeira mulher em hospital privado para prometer melhorias nos atendimentos médicos da rede pública. Em propaganda eleitoral transmitida na televisão nesta terça-feira, 13, o deputado diz que Adriana Torres Russomanno morreu por "negligência médica" e, por isso, ele entende o que os paulistanos passam quando não há um bom atendimento. "Comigo na Prefeitura, com certeza isso não vai acontecer", afirmou o candidato, sem detalhar propostas.

Não é a primeira vez que o candidato fala de sua primeira mulher durante uma corrida eleitoral. Na última disputa pela Prefeitura de São Paulo, em 2016, Russomanno fez uso da história para também sugerir mudanças na rede pública de saúde.  

Adriana morreu em 1990, aos 29 anos, vítima de uma infecção generalizada causada por meningite. Na época repórter, Russomanno gravou imagens de dentro do hospital privado em que a mulher havia morrido e acusou a equipe médica de negligência. O momento em que ele recebeu a notícia da morte é registrado pela equipe do programa. A unidade de saúde chegou a ser processada pelo episódio, mas acabou absolvida pela Justiça.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

Auxílio

Líder das pesquisas de intenção de voto, Russomanno usou seu espaço na propaganda eleitoral da tarde desta terça para voltar a falar da criação do auxílio paulistano, um benefício complementar ao auxílio emergencial do governo federal. Nas imagens, o candidato aparece ao lado do presidente Jair Bolsonaro, com quem têm explorado sua proximidade nas eleições municipais

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.