Ruralista que seria vice de Padilha critica presidente

RIBEIRÃO PRETO - O empresário Maurílio Biagi Filho criticou ontem o governo federal e a presidente Dilma Rousseff na abertura da 21.ª Feira Internacional de Tecnologia Agrícola em Ação (Agrishow), em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo.

Gustavo Porto, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2014 | 02h03

Presidente da Agrishow, Biagi Filho até recentemente era cotado para ocupar a vice na futura chapa encabeçada pelo ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato do PT ao governo do Estado.

Durante a solenidade, líderes do agronegócio e da indústria de máquinas e equipamentos também cobraram dos pré-candidatos à Presidência projetos para o setor.

Biagi Filho lamentou a ausência de Dilma na feira. A última vez que a presidente esteve no evento foi ainda como pré-candidata ao Planalto, em 2010.

"A presidente comete um equívoco ao não comparecer a um evento como esse. Talvez ela não tenha vindo porque aqui é uma região produtora de cana e o pessoal está um pouco bravo com ela", disse. Sem citar nomes, Biagi Filho afirmou que "o País está no caminho errado". "Precisamos de alguém que o coloque no caminho certo."

Primeiro a falar, o presidente da Sociedade Rural Brasileira (SRB), Gustavo Diniz Junqueira, considerou leviano declarar voto a qualquer candidato neste momento, pois "ninguém (nenhum pré-candidato) tem um projeto". Já o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Luiz Aubert Neto, disse que "a indústria de base no Brasil está acabando nos últimos oito anos". "Vamos apoiar quem apresentar um País melhor", disse. "Vamos apoiar quem tirar a carga tributária de quem produz."

Ministro. A defesa do governo ficou a cargo do ministro da Agricultura, Neri Geller. "Eu gostaria de saber onde estão as lideranças que criticam o governo, pois lá dentro do Ministério da Agricultura tem lideranças da Aprosoja, da OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras) e de federações do Centro-Oeste", disse. "O Ministério está sempre presente e vocês sabem disso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.