Mateus Pereira/GOVBA
Mateus Pereira/GOVBA

Rui Costa é reeleito na Bahia e mantém Estado sob domínio do PT

Governador contabiliza 75,50% dos votos válidos e consegue reeleição; é a quarta vitória da sigla no Estado

Yuri Silva, O Estado de S.Paulo

07 Outubro 2018 | 20h49

SALVADOR - O governador da Bahia Rui Costa (PT) foi reeleito com 75,50% dos votos e governará o Estado por mais quatro anos. Seu principal adversário, o ex-prefeito de Feira de Santana José Ronaldo (DEM), ficou com 22,26% dos votos válidos.

A vitória é a quarta seguida do PT na Bahia e consolida o espólio do partido no Estado, que governa há 11 anos.

Em terceiro lugar, com 0,66%, ficou o candidato do PSOL Marcos Mendes, seguido de João Henrique Carneiro (PRTB), com 0,58%, João Santana (MDB), com 0,49%, Célia Sacramento (Rede), 0,46%, e Orlando Andrade, 0,05%.

Brancos somam 3,82% dos votos e nulos 14,21%

Rui Costa é economista e ex-sindicalista. Foi secretário de governo do ex-governador Jaques Wagner, quando cuidava da articulação política e se cacifou para disputar a sucessão do padrinho político. Petista de origem, mas de perfil mais conservador, o governador tem posições divergentes do partido em áreas como a segurança pública, na qual ele defende, por exemplo, endurecimento de penas para criminosos.

Ainda assim, seu governo ostenta altos índices de violência, com taxa de homicídios recorde. No episódio mais polêmico de sua gestão, defendeu policiais militares após uma chacina que matou 12 jovens em um bairro periférico de Salvador. Virou alvo da militância do PT e de movimentos de defesa dos direitos humanos, mas ganhou a confiança da classe média, onde avançou nas pesquisas de intenção de voto, segundo o Ibope.

Com cerca de 10 milhões de eleitores, a Bahia é o quarto maior colégio eleitoral do País. Com economia estruturada principalmente pela agricultura, no interior, e pelos serviços, na capital, o Estado tem como principais desafios para o próximo governante os índices de segurança e da educação, área onde ostenta o pior Ideb do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.