Romário diz que não descarta ser ministro 'mais para frente'

Romário diz que não descarta ser ministro 'mais para frente'

Senador eleito pelo PSB no Rio conversou com Aécio por telefone e afirmou que pretende cumprir seu mandato no Senado, mas não descarta a possibilidade de assumir a pasta do Esporte

Silvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2014 | 10h54


Rio - Nove dias depois de ser eleito senador, o ex-jogador e deputado federal Romário (PSB-RJ) participou nesta terça-feira, 14, de mais uma votação, do Conselho Deliberativo de seu clube de coração, o America. Cobiçado como cabo eleitoral, graças aos 4,6 milhões (63,4% dos válidos) de votos que recebeu, Romário disse que teve de adiar encontro marcado com o candidato do PSDB a presidente, Aécio Neves, e que espera novo contado do tucano. 

O deputado já descartou apoio à presidente Dilma Rousseff e disse que Aécio, em conversa por telefone, se dispôs a encampar as três reivindicações do ex-jogador: criação de centros de diagnóstico e tratamento para pessoas com deficiência e doenças raras; expansão do esporte para áreas carentes e nova política de prevenção de drogas, especialmente crack, com atenção aos dependentes. Questionado se aceitaria um convite para ocupar o Ministério do Esporte, o Baixinho respondeu: "Quero cumprir meu mandato de senador. É uma possibilidade que eu não vou descartar mais para frente".

No domingo, 12, Romário anunciou apoio à reeleição do governador Luiz Fernando Pezão (PMDB), que disputa o segundo turno com o senador Marcelo Crivella (PRB). O ex-jogador disse que deverá participar de uma carreata ao lado de Pezão em São Gonçalo (região metropolitana), no próximo sábado, 18. O Baixinho votou pela manhã na chapa única do Conselho Deliberativo, no Club Municipal, na Tijuca (zona norte). Em novembro, os conselheiros elegerão Romário, candidato único, presidente do America. O senador eleito disse que vai conciliar as funções de parlamentar e dirigente. "O clube não precisa da minha presença física. Nos fins de semana estou sempre no Rio. Além disso, posso despachar depois do expediente no Senado", afirmou. Romário planeja adotar no America o modelo de clube-empresa, com uma equipe responsável pela administração. O deputado deve embarcar nesta tarde para Brasília. 

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesPSBRomario

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.