Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Rodrigo Maia ironiza Haddad como vice na chapa do PT nas eleições 2018: 'vai ser mais fácil'

Presidente da Câmara esteve em Belo Horizonte ao lado do presidenciável tucano Geraldo Alckmin para selar aliança estadual entre DEM e PSDB

Jonathas Cotrim, O Estado de S.Paulo

06 Agosto 2018 | 23h12

BELO HORIZONTE - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), ironizou o registro do nome do ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, como vice na chapa presidencial do PT nas eleições 2018. Ao lado candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, em Belo Horizonte, Maia disse que "vai ser mais fácil". “Com Fernando Haddad vai ser fácil comparar o que ele fez em São Paulo e o que o Alckmin fez”, disse.  

Já o tucano adotou um tom mais ameno. “Nós sempre enfrentamos o PT e sempre o derrotamos em São Paulo. Vamos trabalhar para vencê-los, mas não é uma vitória de natureza pessoal contra quem quer seja”, afirmou o ex-governador de São Paulo. 

Os dois estiveram em Belo Horizonte para alinhar a aliança entre DEM e PSDB, que resultou na desistência do deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM) de se candidatar ao governo de Minas. Ele vai tentar uma das vagas ao Senado na aliança do candidato Antonio Anastasia (PSDB).  Com a saída de Pacheco da disputa pelo Palácio da Liberdade nas eleições 2018, Alckmin tem garantido o palanque único em Minas Gerais.

Maia também ironizou a aliança entre PT e PSB em nível nacional, que levou as executivas dos partidos a interferirem nas candidaturas estaduais, forçando a desistência de candidatos ao governo. “Diferente de outros partidos, nunca vamos convidar o Rodrigo Pacheco para anunciar que ele não será mais candidato. Ele deixa de ser candidato por uma convicção dele”, disse se referindo à retirada das do ex-prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda (PSB), e de Marília Arraes (PT) da disputa ao governo de Minas e Pernambuco, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.