Rio elege 2 acusados de elo com milícias para Câmara

Dois acusados de integrar milícias e um suspeito de associação com o tráfico no Rio de Janeiro estão entre os 51 eleitos para a Câmara da capital fluminense. Carminha Jerominho (PTdoB), que está presa, recebeu 22.068 votos - a 23ª maior votação. Ela é suspeita de integrar uma milícia na zona oeste da cidade, que seria chefiada pelo pai, o vereador Jerominho (PMDB), também preso. Porém, a candidatura de Carminha está sub judice: a filiação foi anulada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) e o recurso ainda será analisado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).Investigado sob suspeita de integrar outra milícia, na Gardênia Azul, em Jacarepaguá, também na zona oeste, o bombeiro Cristiano Girão (PMN) foi eleito com 10.445 votos. Claudinho da Academia (PSDC), que teria recebido apoio de traficantes da Favela da Rocinha, na zona sul do Rio, recebeu 11. 513 votos e também foi eleito.O ex-chefe da Delegacia Anti-Sequestro (DAS) do Rio Fernando Moraes (PR) foi eleito com 19.762 votos. Irmão do deputado estadual Jorge Babu, suspenso temporariamente pelo PT após ter sido acusado de integrar milícia na zona oeste, Elton Babu (PT) também conquistou a vaga na Câmara, com 11.279 votos. Nadinho de Rio das Pedras (DEM), outro acusado de integrar milícia, não conseguiu se eleger, apesar dos 16.838 votos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.