Revoltado, PDT negocia aliança com tucanos de SP

Partido, da base de apoio da presidente Dilma, vai assumir secretaria do governo paulista de olho nas eleições de 2014

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

02 de março de 2012 | 03h05

O PDT colocou um pé na oposição. Além de selar uma parceria imediata com o PSDB, indicando o sindicalista Carlos Ortiz para a Secretaria do Trabalho do governo de São Paulo, a cúpula pedetista já começou a negociar uma aliança com os tucanos no segundo turno da briga pela prefeitura paulistana e nas eleições gerais de 2014.

Tudo em clima de insatisfação com a presidente Dilma Rousseff. Foi este o produto concreto do encontro do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), com o presidente nacional do PDT e ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi. Na conversa de segunda-feira, da qual também participou o presidente da Força Sindical e pré-candidato do PDT a prefeito da capital paulistana, deputado Paulo Pereira da Silva, Alckmin marcou a posse de Ortiz para o dia 9.

"Estamos pavimentando 2014. Aliança daquele tamanhão que Lula (em 2010) fez, ninguém vai fazer mais", afirma Paulinho da Força, ao admitir a vinculação do movimento que seu PDT faz agora com as eleições gerais de 2014.

O incômodo por conta dos maus tratos do Planalto o deputado resume em uma frase: "A presidente Dilma não fala com ninguém. Está igual a rainha da Inglaterra". A candidatura a prefeito de Paulinho da Força não foi objeto de negociação, segundo os participantes. Um dirigente do PSDB explica que, no que se refere ao PDT, o mais importante para a candidatura tucana de José Serra é que Paulinho se mantenha na disputa.

Na avaliação desse dirigente, ruim seria se o pedetista se curvasse à eventual pressão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT para agregar força e tempo de propaganda eleitoral g ao candidato petista Fernando Haddad. / C.S

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.