André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Resumo das Eleições 2018: TSE suspende propaganda petista e onda anticorrupção impulsiona Bolsonaro

PT representa contra Bolsonaro no STF, Alckmin faz comício com Doria em SP e Dallagnol fala com exclusividade sobre eleições e corrupção; veja destaques desta segunda-feira

Igor Moraes, O Estado de S.Paulo

03 Setembro 2018 | 16h35

De segunda a sexta, o Estado publicará resumos com as principais notícias sobre as campanhas e o dia dos candidatos nas eleições 2018.

Confira abaixo os destaques desta segunda-feira, 3:

TSE suspende propaganda do PT no rádio

O ministro Luis Felipe Salomão, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), suspendeu, em caráter liminar, a propaganda eleitoral do PT no rádio na qual o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é apresentado como candidato ao Palácio do Planalto nas eleições 2018. O pedido para suspensão foi feito pelo Partido Novo.

Para Salomão, o programa eleitoral de rádio não deixa “margem a dúvidas” de que deliberações do TSE foram descumpridas. Em sessão na última sexta-feira, o Tribunal confirmou a inelegibilidade de Lula e negou o registro de candidatura para o líder petista.

Nove ações contestam propagandas com Lula

O pedido do Partido Novo é uma das nove representações protocoladas nos tribunais contra as propagandas eleitorais do PT. As coligações dos presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Geraldo Alckmin (PSDB) também entraram com ações contra as propagandas petistas.

PT ‘testou’ decisão da Justiça eleitoral

Não adaptar os programas de rádio foi uma opção do PT para “testar” a decisão que barrou a candidatura de Lula. De acordo com dirigentes da legenda, o objetivo era “entender” o alcance da decisão que tirou o ex-presidente da corrida ao Planalto.

‘Ninguém pode censurar a narrativa política do PT’

Em entrevista ao Estado, o advogado Luiz Fernando Casagrande Pereira disse que o PT pode usar sua propaganda para defender a candidatura de Lula, mesmo que o ex-presidente não possa aparecer como candidato.

Ninguém pode censurar a narrativa política do PT. O Lula só não pode aparecer como candidato, mas o PT pode defender a candidatura”, disse o advogado, que é responsável pelo processo do registro petista.

Crime de ameaça

A coligação “O Povo Feliz de Novo” (PT/PCdoB/Pros) entrou com uma representação contra Bolsonaro no Supremo Tribunal Federal (STF) pelo crime de ameaça por conta de um discurso proferido pelo candidato do PSL durante evento no Acre. A chapa encabeçada pelos petistas ainda pede que o candidato do PSL seja investigado por injúria eleitoral e incitação ao crime.

Onda anticorrupção impulsiona Bolsonaro

Análise do Estadão Dados em 27 pesquisas recentes do Ibope revelou que o desempenho de Jair Bolsonaro melhora conforme aumenta a parcela do eleitorado que cita o combate à corrupção como prioridade. O oposto se manifesta nos eleitores de Lula: quanto menor a preocupação com corrupção, maiores os índices de intenção de voto no petista. 

Dallagnol: esquema de corrupção tem grande impacto nas eleições

O procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força tarefa da Lava Jato, afirmou que a corrupção desequilibra as disputas eleitorais em favor dos corruptos.

“Uma vez reeleitos, mantêm ou aumentam seus esquemas, gerando mais propinas, o que nos coloca num círculo vicioso”, disse Dallagnol em entrevista exclusiva concedida para o Estado. Clique aqui para ver a íntegra.

Alckmin e Doria em SBC

O PSDB promoveu neste domingo, 2, uma agenda conjunta entre Alckmin e João Doria, candidato ao governo de São Paulo. Atrás de Bolsonaro nas pesquisas de intenção de voto do eleitorado paulista, o presidenciável tucano deve intensificar suas aparições no Estado.

Confira abaixo vídeo do Carrapato Estadão com imagens do comício:

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.