Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Resumo das Eleições 2018: TSE abre ação sobre mensagens no WhatsApp e PDT quer anular 1º turno

TSE adia coletiva de imprensa, Haddad cobra corte eleitoral e debate duro entre Doria e França na televisão; veja destaques desta sexta

O Estado de S.Paulo

19 Outubro 2018 | 21h12

De segunda a sexta, o Estado publicará resumos com as principais notícias sobre as campanhas e o dia dos candidatos nas eleições 2018.

Confira abaixo os destaques desta sexta-feira, 19:

TSE abre ação sobre compra de mensagens anti-PT no WhatsApp

O ministro Jorge Mussi, corregedor-nacional da Justiça Eleitoral, decidiu abrir investigação judicial pedida pelo PT para que sejam investigadas acusações de que empresas compraram pacotes de disparo em larga escala de mensagens no WhatsApp contra o partido e a campanha de Fernando Haddad.

De acordo com a decisão, Jair Bolsonaro (PSL), seu candidato a vice, Hamilton Mourão, o empresário Luciano Hang, da Havan, e mais 10 sócios das empresas apontadas na ação do PT têm o prazo de cinco dias para apresentarem defesa no processo.   

PDT pede anulação das eleições 2018

O PDT de Ciro Gomes, terceiro colocado na corrida presidencial do primeiro turno, apresentou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) um pedido de anulação das eleições 2018. O partido alega na ação abuso de poder econômico e irregularidades na arrecadação e gastos da campanha do candidato Jair Bolsonaro (PSL), o mais votado no primeiro turno.

A solicitação cita a reportagem do jornal Folha de S. Paulo sobre disseminação de notícias falsas nas redes sociais e afirma que “empresas foram contratadas para disseminar mensagens, via rede social WhatsApp, com o intuito de promover propagada eleitoral denegrindo os oponentes do Sr. Jair Bolsonaro, de modo a favorecê-lo na corrida presidencial”.

Bolsonaro diz que PSL não comandará Câmara

Bolsonaro orientou os 52 deputados eleitos pelo PSL a não se mobilizarem para disputar cargos na mesa diretora da Câmara dos Deputados na próxima legislatura. Nos últimos dias, lideranças do partido – que elegeu a segunda maior bancada – sustentaram que o partido teria direito de reivindicar o comando da Casa.

O deputado federal Eduardo Bolsonaro (SP), que é filho do presidenciável, chegou a ser apresentado pelo PSL paulista como possível candidato ao cargo, o que irritou lideranças do Centrão que articulam a reeleição de Rodrigo Maia (DEM-RJ) para a presidência da Casa. 

Conta de filho Bolsonaro no WhatsApp ficou suspensa entre 11 e 14 de outubro

Flávio Bolsonaro, senador eleito pelo Rio, informou que sua conta no WhatsApp foi reativada após ter sido bloqueada. Filho de Jair Bolsonaro, ele teve a conta no aplicativo suspensa em 11 de outubro e liberada no dia 14, cinco dias antes de revelar, em sua conta no Twitter que teve o acesso ao aplicativo suspenso. De acordo com apuração do Estado junto à empresa, o senador eleito tem tido acesso a ela desde que a conta foi reativada.

Viviane Senna encontra Bolsonaro

Viviane Senna, presidente do Instituto Ayrton Senna e um dos nomes mais importantes do terceiro setor ligado à educação, visitou nesta quinta-feira, 18, o candidato Bolsonaro. O Instituto informou que foi convidado para conversar e se colocou à disposição para contribuir com o tema, “assim como o faria com qualquer outro partido ou candidato”.

“A organização reforça seu caráter apartidário — portanto, não apoia nenhum partido ou candidato”, disse o instituto em nota.

Grades no condomínio de Bolsonaro

Grades de contenção foram instaladas no acesso ao condomínio onde mora Jair Bolsonaro na manhã desta sexta, 19. Policiais federais que fazem a segurança do candidato também atuaram na portaria do local. Até então, os agentes ficavam apenas próximos à casa do deputado, que não pode ser vista da rua.

Bolsonaro assina compromisso por união entre homem e mulher

Conforme antecipado pelo repórter Gustavo Zucchi, do BR18, Bolsonaro assinou um termo de compromisso no qual se compromete a promover “o verdadeiro sentido do Matrimônio, como união entre homem e mulher”, “a Família, constituída de acordo com o ensinamento da Igreja”; e combater a “ideologia de gênero”. O documento foi elaborado pela organização Voto Católico Brasil.

TSE adia coletiva

O TSE adiou para domingo, 21, às 14 horas, uma coletiva de imprensa que estava prevista para acontecer nesta sexta, 19. Segundo apuração do Broadcast/ Político antes do cancelamento, a presidente da Corte, ministra Rosa Weber falaria sobre medidas que vêm sendo adotadas para garantir lisura nas eleições e responder questionamentos levantados no primeiro turno.

Além de Rosa Weber, também participarão da coletiva no domingo o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República (GSI), general Sérgio Etchegoyen, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, a advogada-geral da União, Grace Mendonça, e o diretor-geral da Polícia Federal, Rogério Galloro.

Justiça analógica para crime digital, diz Haddad

Fernando Haddad (PT) criticou na manhã desta sexta, 19, o “silêncio absoluto” do TSE sobre a denúncia publicada pela jornal Folha de S. Paulo de que empresas supostamente teriam comprado pacotes de disparo de mensagens no WhatsApp para favorecer Bolsonaro.

“O que aconteceu já é muito grave. Muitos parlamentares, uma parte do novo Congresso, foram eleitos com base nessa emissão de mensagens. Santinhos foram distribuídos em massa. É uma Justiça analógica para um crime digital”, disse o presidenciável do PT.

Aumenta ação de robôs pró-Bolsonaro no Twitter

As menções sobre os candidatos a presidente no Twitter caíram 38% entre os dias 10 e 16 de outubro. A reta final da corrida eleitoral, contudo, registrou uma retomada do crescimento da atuação de robôs nas redes. O destaque ficou para o grupo de Jair Bolsonaro, que respondeu por 70,7% do tuítes identificados como sendo gerados por máquinas.

Os números fazem parte de um levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas (DAPP) da Fundação Getulio Vargas (FGV). Clique aqui para saber mais.

Haddad pede ‘gás’ para militância

Em ato no Rio de Janeiro nesta sexta, 19, Haddad pediu “gás” para a militância e convocou os apoiadores a seguir tentando reverter os votos para Bolsonaro, dizendo que escolher o candidato do PSL é “delírio demais”.

"Nós temos condição de ganhar essa eleição e evitar que o Brasil assuma uma aventura. Colocar uma pessoa que durante 28 anos fez o papelão que fez no Congresso Nacional.... Vamos dar a 12.ª economia do mundo para o Bolsonaro administrar? Precisamos gerar emprego a partir do dia 1.º de janeiro", disse Haddad.

Debate para governador de SP na Record

João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB), candidatos que disputam o segundo turno das eleições 2018 para governador de São Paulo, participaram no início da tarde desta sexta-feira, 19, do debate eleitoral promovido pela TV Record. Clique aqui para conferir os melhores momentos do encontro.

Compare planos de governo de França e Doria

Saúde, educação, emprego, economia e segurança estão entre os termos mais buscados no Google durantes as eleições 2018, de acordo com dados da plataforma Google Trends.

Os candidatos ao Governo de São Paulo João Doria (PSDB) e Márcio França (PSB), que avançaram para o segundo turno, apresentam metas para cada uma dessas áreas em seus planos de governo, que devem ser implementados caso sejam eleitos. Clique aqui para conferir as propostas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.