Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Resumo das Eleições 2018: Toffoli rebate Bolsonaro e Haddad defende diálogo com tucanos

Mourão fala em reforma da Constituição, Haddad evita comentar indulto para Lula e os bastidores do debate para governador de SP; veja destaques desta segunda-feira

Igor Moraes, O Estado de S.Paulo

17 de setembro de 2018 | 19h43

De segunda a sexta, o Estado publicará resumos com as principais notícias sobre as campanhas e o dia dos candidatos nas eleições 2018.

Confira abaixo os destaques desta segunda-feira, 17:

Toffoli defende urnas eletrônicas

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), defendeu que as urnas eletrônicas “são totalmente confiáveis”. De acordo com ele, os sistemas são abertos para auditagem a todos os partidos políticos.

A declaração, concedida pelo magistrado durante café da manhã com jornalistas nesta segunda-feira, 17, foi dada no dia seguinte da transmissão ao vivo realizada por Jair Bolsonaro, na qual o presidenciável do PSL disse que as eleições 2018 podem ser fraudadas por conta da ausência do voto impresso.

“Tem gente que acredita em Saci Pererê”, ironizou Toffoli.

Militantes assistem ‘live’

No domingo, 16, militantes foram à garagem do Hospital Albert Einstein, onde Bolsonaro está internado, para apoiar o presidenciável. De lá, acompanharam a transmissão ao vivo do candidato via internet. O Carrapato Estadão acompanhou o ato. Veja o vídeo abaixo:

 

Mourão: ‘vamos relevar o que ele disse’

O general Hamilton Mourão, candidato a vice de Bolsonaro, disse que é preciso “relevar” as recentes declarações do presidenciável.

"Vocês têm que relevar um homem que quase morreu há uma semana, fez duas cirurgias. Vamos relevar o que ele disse", afirmou o militar. “Quem vencer, venceu. Só tenho pena do Brasil se o PT vencer", completou.

‘Fábrica de desajustados’

Em discurso para uma plateia de empresários e representantes da construção civil neste segunda-feira, 17, General Mourão voltou a defender uma reforma na Constituição e afirmou que famílias sem pai e avô em áreas pobres são “fábricas de elementos desajustados”.

“A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais. Atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai e avô, mas sim mãe e avó, por isso é fábrica de elementos desajustados que tendem a ingressar nessas narcoquadrilhas", disse Mourão, ao falar sobre segurança pública.

Durante sua fala, o candidato a vice citou Bolsonaro apenas uma vez e reclamou da maneira como as polícias são criticadas. "Temos que lembrar que direitos humanos são para humanos direitos", disse o general.

Alckmin: Bolsonaro quer justificar derrota antecipada?

Geraldo Alckmin, candidato a presidente pelo PSDB, rebateu a fala de Bolsonaro na transmissão de domingo. De acordo com o tucano, a declaração pode ser uma justificativa para a derrota antecipada nas urnas.

"Por que ter fraude? Ele quer justificar a derrota antecipada? Eu disputei dez eleições. Ganhei, perdi. Não teve fraude nenhuma. Aliás, o Brasil é um exemplo no mundo de avanço tecnológico, de avanço eleitoral que tem até uma justiça eleitoral", disse o ex-governador de São Paulo.

O discurso de Alckmin segue a linha da estratégia de desconstrução do candidato do PSL. Números demonstram que o PSDB perdeu o protagonismo no eleitorado antipetista para Bolsonaro.

Haddad defende diálogo com tucanos

Fernando Haddad, candidato do PT a presidente da República nas eleições 2018, defendeu a manutenção de uma “conversa permanente” com o PSDB em torno de uma agenda que garanta estabilidade democrática. Durante agenda de campanha em São Paulo, o ex-prefeito disse que o diálogo se tornou ainda mais necessário após as declarações de Bolsonaro.

Indulto a Lula?

Haddad evitou dizer se concederia um indulto a Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso pela Lava Jato desde abril. Em sabatina organizada por Folha de S. Paulo, UOL e SBT nesta segunda-feira, 17, ele afirmou esperar que o ex-presidente seja absolvido e que o Comitê de Direitos Humanos da ONU deverá julgar o mérito de seu processo no primeiro semestre do ano que vem.

O ex-prefeito de São Paulo disse ainda que nunca conversou com Fernando Pimentel (PT), governador de Minas Gerais, sobre essa possibilidade. O mineiro chegou a afirmar que Haddad daria o indulto a Lula no primeiro dia de governo.

Lula será grande conselheiro

Também nesta segunda-feira, 17, após visitar Lula no prédio da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, Haddad disse que Lula estará orientando um eventual governo petista, mas não explicou qual seria seu papel.

“Temos total comunhão de propósitos em relação a ele e o diagnóstico de que o Brasil precisa do nosso governo e precisa do Lula orientando como um grande conselheiro. Ele é um interlocutor permanente de todos os dirigentes do partido e nunca deixará de ser. Não temos nenhum problema com isso”, disse Haddad.

Poucos contra a reeleição

Nenhum dos concorrentes ao Palácio do Planalto em 2018 é candidato à reeleição. Apesar disso, levantamento do Estado mostra que, dos 13 candidatos à Presidência, apenas Marina Silva (Rede), Bolsonaro e Alvaro Dias (Podemos) defendem a mudança na legislação.

Mais militares nas urnas

General Mourão, Cabo Daciolo e outros 533 candidatos nas eleições 2018 escolheram incluir suas patentes militares no nome que será incluído nas urnas eletrônicas das eleições 2018. O número – que leva em conta Forças Armadas, Polícias e Bombeiros – é 12 vezes maior do que o registrado no ano de 1994 e 39% superior ao das eleições de 2014. Clique aqui para saber mais sobre o levantamento realizado pelo Estado.

Sabatina com economista de Ciro Gomes

O economista Mauro Benevides, coordenador das propostas de Ciro Gomes (PDT) na área, será o entrevistado desta terça-feira, 18, na série Os Economistas das Eleições, parceria do Estado com a Fundação Getúlio Vargas. Clique aqui para saber mais.

TSE recebe mais de 6 mil denúncias

Nas últimas três semanas, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu 6.037 denúncias de infrações eleitorais, das quais 3.978 de possíveis irregularidades relacionadas a propagandas eleitorais. As denúncias foram enviadas por eleitores por meio do aplicativo “Pardal”, desenvolvido pela Justiça Eleitoral. Saiba mais neste link.

Bastidores do debate entre candidatos a governador de SP na TV Gazeta

Discussões na plateia e provocações do palco. Assista vídeo do Carrapato Estadão e veja estes e outros bastidores do terceiro debate entre candidatos a governador de São Paulo, realizado neste domingo em parceria entre Estado, TV Gazeta, Rádio Jovem Pan e Twitter:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.