Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Resumo das Eleições 2018: grupo contra Bolsonaro cresce e Haddad nega indulto para Lula

Presidente do TSE defende urnas eletrônicas, Ciro Gomes critica voto útil e Alckmin deverá retomar ataques em campanha; veja destaques desta terça

Igor Moraes, O Estado de S.Paulo

18 de setembro de 2018 | 19h30

De segunda a sexta, o Estado publicará resumos com as principais notícias sobre as campanhas e o dia dos candidatos nas eleições 2018.

Confira abaixo os destaques desta terça-feira, 18:

Urnas eletrônicas são confiáveis, garante presidente do TSE

Nesta terça-feira, 18, a ministra Rosa Weber, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou que as urnas eletrônicas são “absolutamente confiáveis” e que, em 22 anos de utilização, nenhuma fraude foi constatada.

A magistrada lembrou que as urnas são auditáveis e que, nas eleições de 2014, o PSDB pediu uma auditoria depois da derrota do senador Aécio Neves para Dilma Rousseff na corrida presidencial.

Em transmissão ao vivo pela internet no último domingo, 16, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) disse que as eleições 2018 poderiam resultar em uma fraude por conta da ausência do voto impresso.

“As pessoas são livres para expressar a própria opinião, mas quando essa opinião é desconectada da realidade, nós temos que buscar os dados da realidade”, rebateu Rosa Weber.

Dallagnol rejeita teorias da conspiração

Quem também comentou sobre possibilidades de fraude no processo eleitoral foi o procurador Deltan Dallagnol, da força-tarefa da operação Lava Jato. Ele afirmou não ser “simpático a teorias da conspiração” e disse não haver evidências de irregularidades que tenham alterado o resultado das eleições.

"Eu desconheço resultados de votações que tenham sido significativamente divergentes de pesquisas que possam amparar a conclusão que existam fraudes em urnas eletrônicas hoje", disse Dallagnol, que ainda ressaltou que o comentário não é uma resposta para Bolsonaro.

Vídeo de apoio a Bolsonaro é ‘fake’

De acordo com checagem do Projeto Comprova, é falso o vídeo publicado no Facebook pela página “Bolsonaro Presidente Sudeste”, o qual alega que um milhão de pessoas fizeram um coro na Esplanada dos Ministérios para apoiar o presidenciável do PSL.

A gravação original foi publicada no YouTube no dia 15 de março de 2015, em um ato pela impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT).

Grupo contra Bolsonaro cresce após ataques

Depois de ser hackeado e ficar fora do ar em diferentes ocasiões, o grupo do movimento de mulheres contra a candidatura de Bolsonaro alcançou o número de 2,5 milhões de integrantes no Facebook. No fim de semana, a hashtag #EleNão foi utilizada 193,4 mil vezes; e a #EleNunca, 152 mil vezes.

De acordo com levantamento da Fundação Getúlio Vargas (FGV), as hashtags foram usadas de maneira recorrente em postagens sobre os ataques contra a página e também em denúncias sobre ameaças sofridas pelas administradoras e participantes do grupo.

Campanha reage com Bolsonaro e filha

Para reagir ao movimento na internet de mulheres na internet, a campanha de Bolsonaro começou a divulgar imagens de família e mensagens de repúdio à violência sexual.

O presidenciável apareceu em vídeo ao lado da filha Laura, de 8 anos, e relatou que desfez uma vasectomia para que sua esposa, Michelle de Paula, pudesse engravidar.

Prefeito de Chapecó expulso do PSB

O prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, foi expulso do PSB após anunciar apoio a candidatura de Bolsonaro. A decisão foi de Carlos Siqueira, presidente do partido.

O PSB decidiu em seu Congresso Nacional, realizado em agosto, liberar seus candidatos para apoiarem quaisquer candidatos a presidente nas eleições 2018. A única restrição era o apoio a Bolsonaro.

Alckmin ‘linha dura’

Para atrair os eleitores de Bolsonaro, a campanha de Geraldo Alckmin reforçou o discurso na área da segurança pública e prometeu endurecer as leis ao lançar durante o horário eleitoral desta terça, 18, um programa chamado “Linha Dura”.

A propaganda tucana, que poupou ataques diretos contra Bolsonaro, prometeu criar uma força tarefa de elite “nos moldes do FBI”.

Alckmin nega debandada de aliados

Na tarde desta terça, 18, Alckmin disse, de forma enfática, que não tem qualquer procedência a sugestão de que uma debandada de partidos de sua coligação esteja em curso.

De acordo com reportagem do Estado, a campanha do ex-governador tenta evitar a debandada de aliados e quer reforçar a visibilidade do presidenciável em São Paulo nas últimas três semanas que antecedem o primeiro turno das eleições 2018.

Retomar ataques contra Bolsonaro

Após reunião com aliados do Centrão da tarde desta terça, 18, a campanha de Alckmin deverá retomar os ataques contra Bolsonaro. O ex-governador reforçou o tom antipetista e deverá argumentar que votar em Bolsonaro significa garantir o PT no segundo turno.

Alckmin leva tombo

O presidenciável tucano levou um tombo nesta segunda-feira, 17, ao visitar uma creche nos arredores de Brasília. Alckmin estava com um menino no colo e perdeu o equilíbrio quando outras crianças se enroscaram em suas pernas. Ninguém ficou ferido.

‘Voto útil é insulto’, diz Ciro Gomes

O candidato a presidente pelo PDT, Ciro Gomes, disse seu projeto de governo não é o mesmo do PT e declarou que o apelo ao voto útil é um “insulto à experiência popular”. Ele rebateu qualquer estratégia para atrair o voto de Alckmin e Marina Silva (Rede) para evitar as vitórias do PT ou de Bolsonaro nas eleições 2018.

"Para um democrata, a presunção é confiança no voto popular. Então, acredito que essa história de voto útil é um insulto à experiência popular", disse o presidenciável durante campanha em São Paulo nesta terça, 18.

Não ao indulto para Lula, diz Haddad

Fernando Haddad, candidato pelo PT nas eleições 2018, disse que não vai dar indulto ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado e preso desde abril pela Lava Jato.

"Lula é o primeiro a dizer que não quer favor, quer reconhecimento do erro do Judiciário", afirmou o ex-prefeito de São Paulo.

Haddad confrontado por eleitores de Bolsonaro

Eleitores de Bolsonaro compareceram a um evento de campanha de Haddad em Itajaí, Santa Catarina. O grupo cantou músicas contra a esquerda e chegou a trocar xingamentos com militantes petistas. O Estadão Carrapato flagrou o ocorrido, assista abaixo o vídeo:

 

Conheça os candidatos ao Senado em 2018

Nas eleições 2018, os eleitores terão de votar duas vezes para o Senado. Isso acontecerá porque, este ano, dois senadores serão eleitos por Estado. Para saber quem são os candidatos em todo o País, clique aqui.

Zapatero fala sobre eleições 2018

"A campanha é decisiva porque o Brasil é uma referência para a América Latina e para a ordem mundial". Esta é a avaliação do ex-premiê espanhol José Luis Rodrigues Zapatero sobre as eleições 2018 no Brasil. Em visita ao Brasil para um seminário, ele concedeu entrevista exclusiva para o Estado. Clique aqui para conferir a íntegra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.