Mauro Pimentel/AFP
Mauro Pimentel/AFP

Resumo das Eleições 2018: Bolsonaro deverá passar por nova cirurgia em janeiro, diz médico

Marine Le Pen, candidata da extrema direita na França em 2017, afirma que Bolsonaro 'diz coisas desagradáveis', Haddad se compromete a revogar reforma trabalhista e partidos definem apoio no segundo turno; veja destaques desta quinta-feira

O Estado de S.Paulo

11 Outubro 2018 | 19h41

De segunda a sexta, o Estado publicará resumos com as principais notícias sobre as campanhas e o dia dos candidatos nas eleições 2018.

Confira abaixo os destaques desta quinta-feira, 11: 

Nova cirurgia de Bolsonaro

O candidato à Presidência pelo PSLJair Bolsonaro, deverá passar por nova cirurgia logo após uma eventual posse, caso eleito no segundo turno das eleições 2018. É o que prevê o cirurgião-chefe da equipe médica do candidato, Antônio Luiz Macedo, do Hospital Israelita Albert Einstein, no Morumbi, na zona sul da capital paulista, onde o candidato ficou internado por quase um mês.

O especialista afirmou que a operação para fechamento da colostomia (exteriorização do intestino para saída das fezes) só poderá ser feita após o dia 12 de dezembro, mas que, como o procedimento requer duas semanas de recuperação, se o paciente se submetesse à operação ainda neste ano, não haveria garantias que ele estaria completamente recuperado para uma eventual posse, no dia 1.º de janeiro.

Le Pen: Bolsonaro 'diz coisas desagradáveis'

A líder da extrema direita francesa, Marine Le Pen, afirmou nesta quinta-feira, 11, que Jair Bolsonaro (PSL) diz "coisas desagradáveis que são intransponíveis na França"  e que não o vê como um representante desse espectro político. As declarações da política, que foi derrotada nas eleições francesas de 2017 com 34% das intenções de voto contra 66% do centrista Emmanuel Macron, foram dadas em entrevista ao Canal France 2.

Haddad pretende revogar reforma trabalhista e teto de gastos

O candidato à Presidência da República pelo PTFernando Haddad, esteve hoje na Conferência Nacional dos Bispos (CNBB), em Brasília, reunido com o secretário-geral da instituição, Dom Leonardo Steiner, para ouvir as demandas dos católicos e se comprometer com a entidade, caso vença as eleições 2018 "Dom Leonardo reiterou nota da CNBB sobre medidas do governo atual como a chamada teto de gastos e a reforma trabalhista", disse. "Me comprometi no primeiro momento a revogar essas medidas que, na minha opinião, comprometem os direitos sociais", disse.

Candidato ao Ministério dos Transportes: 'No meu tempo não tinha Ibama para encher o saco'

A área ambiental deverá passar por mudanças radicais a partir do ano que vem, caso o candidato Jair Bolsonaro se saia vencedor nas urnas, no dia 28 de outubro. Em entrevista ao Estado, o general Oswaldo Ferreira, cérebro de Bolsonaro responsável pelos planos nas áreas de infraestrutura e meio ambiente, confirmou que o setor deverá ser totalmente reestruturado, para eliminar “atrasos” e separar “o que pode e o que não poder ser feito”. Militar da reserva e cotado para ser o ministro dos Transportes do candidato do PSL, Oswaldo Ferreira afirmou: "Derrubei todas as árvores que tinha à frente, sem ninguém encher o saco. Hoje, o cara, para derrubar uma árvore, vem um punhado de gente para encher o saco.”

Partidos se posicionam para o segundo turno das eleições 2018

Pelo menos 20 partidos já se posicionaram de maneira favorável, contrária ou neutra no segundo turno das eleições 2018. Jair Bolsonaro (PSL), que teve 46% dos votos válidos no último domingo, ou Fernando Haddad (PT), que somou 29%. O segundo turno será em 28 de outubro. A maior parte das siglas optou pela neutralidade.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.