Resultado da prévia do PT em Recife fica sub judice

O prefeito do Recife, João da Costa, deu entrevista, na noite deste domingo, como vitorioso da prévia do partido realizada para indicar o candidato à prefeitura nas eleições de outubro. Ele disputou com o secretário estadual de Governo, Maurício Rands. "Minha vitória é inquestionável", disse o prefeito, embora o resultado esteja sub judice. Os números da votação não haviam sido divulgados oficialmente até às 20 horas e ninguém será proclamado vencedor pelo menos até o dia 31 de maio, quando o conselho nacional do PT se reúne para discutir o assunto.

ANGELA LACERDA, Agência Estado

20 Maio 2012 | 21h38

As prévias foram marcadas por clima acirrado e por uma batalha jurídica sobre quem tinha direito a voto. "Tudo pode acontecer", previu o presidente do diretório estadual do PT, deputado federal Pedro Eugênio, ao afirmar que a prévia poderá até ser invalidada.

A executiva nacional reconheceu uma lista com 20 mil filiados aptos a votar no Recife. O grupo que apoia João da Costa defendeu uma lista ampliada de 33 mil filiados com direito a voto. A controvérsia se deve aos prazos para regularização das contribuições partidárias. O secretário geral do PT, Elói Pietá, acompanhou todo o processo de votação e apuração.

Depois de recursos das duas partes, o desembargador do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), Jovaldo Nunes, determinou na manhã de domingo que todos os 33 mil filiados poderiam votar nas 70 urnas eletrônicas cedidas pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE), distribuídas nas 13 zonas eleitorais da capital. Ele determinou que o resultado seja embargado até a verificação financeira de cada um dos votantes com a legenda. Na decisão, o desembargador observou que o ideal seria o adiamento do pleito, o que não foi possível porque não foi solicitado por nenhuma das partes.

Estrago

A expectativa é a de que, seja quem for o vencedor, o PT, que comanda a prefeitura há 12 anos, sairá enfraquecido e dará margem a candidaturas alternativas dentro da Frente Popular, integrada por partidos aliados.

Escolhido pelo ex-prefeito João Paulo para ser seu sucessor, João da Costa não tem o mesmo carisma do padrinho, com quem rompeu, nem conseguiu manter em alta a aprovação à sua administração. Considerado o maior cabo eleitoral do PT no Recife, o deputado federal João Paulo já avisou que, se Costa for o vencedor, não terá o seu voto.

A candidatura do secretário estadual de Governo, Maurício Rands, é bancada pela tendência Construindo um Novo Brasil (CNB), do senador Humberto Costa. Todos os integrantes da CNB que faziam parte do governo municipal entregaram seus cargos no início de abril. A favor do prefeito estão o deputado federal Fernando Ferro e a maioria dos integrantes da Câmara Municipal.

Mais conteúdo sobre:
PT Recife prévia eleições 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.