Representação contra Aécio será avaliada 'nos próximos dias'

Roberto Gurgel também afirmou ontem que "nos próximos dias" dará parecer sobre uma representação que tem Aécio Neves e sua irmã Andrea Neves como alvo. A representação de maio de 2011, de autoria de deputados opositores ao PSDB mineiro, pede que o senador seja investigado por causa de seus bens.

Marcelo Portela / Belo Horizonte, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2013 | 02h09

Aécio declarou à Justiça Eleitoral patrimônio de R$ 617 mil. Também é sócio junto com a irmã da Rádio Arco-íris, de Belo Horizonte. A empresa foi registrada na Junta Comercial com capital social de R$ 200 mil. Na sua frota há outros 11 veículos. Mas só o Land Rover no qual Aécio foi flagrado numa batida da Lei Seca no Rio é avaliado em R$ 300 mil.

Por meio de sua assessoria, o senador ressaltou que não há relação entre o capital social de uma empresa e seu patrimônio, que é resultado de seu faturamento. A assessoria observa que a emissora "declarou corretamente, entre seu patrimônio, a frota mencionada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.