Relembre: Auxílio-moradia de deputados de SP valeu até maio

Os 94 deputados da Assembleia paulista recebiam até maio passado R$ 2.250 de auxílio-moradia - que era pago, indistintamente, a quem tivesse ou não tivesse residência na capital. A mordomia acabou no dia 9 daquele mês, quando o juiz Manuel Fonseca Pires, da 13.ª Vara da Fazenda Pública, decretou a "imediata suspensão" do benefício, sob pena de os responsáveis "responderem por ato de improbidade administrativa".

O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2013 | 02h11

A decisão atendia a pedido feito em janeiro pelos promotores Saad Mazloum e Sílvio Marques - e representava para os cofres estaduais uma economia de R$ 2,5 milhões anuais. Em sua argumentação, o juiz Fonseca Pires ressaltava que "não há critério algum ao suposto reembolso", visto que ele beneficiava por igual quem tivesse tido a despesa ou não. Para não assumir a derrota, a Mesa da Assembleia divulgou nota em que comunicava "a revogação parcial da lei 14.926/13", no trecho que citava especificamente o auxílio-moradia.

Dias depois, os deputados contra-atacaram. Em acordo entre partidos, adotou-se a chamada bolsa-hospedagem, de R$ 2.850. Mas ela veio em novo formato: só vale para quem mora fora de São Paulo e só paga os gastos que estão comprovados em notas.

Tudo o que sabemos sobre:
assembleia de spauxílio-moradia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.