Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Rejeição a João Doria na capital cai 10 pontos, aponta Ibope

Levantamento mostrou que candidato do PSDB é rejeitado por 43% do eleitorado paulistano; é a maior entre os 12 candidatos

Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

03 Outubro 2018 | 22h15

Mesmo com os ataques das campanhas adversárias pela sua saída precoce da Prefeitura de São Paulo, o candidato do PSDB ao governo do Estado, João Doria, viu sua rejeição recuar dez pontos na capital paulista.

Pesquisa Ibope/Estado/TV Globo divulgada nesta quarta-feira, 3, mostra que o total de eleitores paulistanos que não votaria de jeito nenhum em Doria caiu de 53% na pesquisa da semana passada para 43% no novo levantamento.

A rejeição a Doria também caiu três pontos no interior (23% para 20%) e ficou estável em 31% na periferia. Ao todo, o porcentual de entrevistados em todo o Estado que se recusam a votar no ex-prefeito da capital caiu de de 33% para 29% em uma semana.

Ainda assim, o tucano é quem tem a maior rejeição entre os 12 candidatos a governador. Na sequência aparecem Luiz Marinho (PT), com 20%, e Paulo Skaf (MDB), com 18%. O governador Márcio França (PSB), tem 10%. A rejeição ao petista oscilou dois pontos para cima, enquanto que a rejeição a Skaf e França oscilou um ponto para baixo.

Tanto Skaf quanto França têm explorado em seus tempos de propaganda eleitoral na TV e no rádio e nos debates a saída precoce de Doria da Prefeitura da capital, após inúmeras promesses de que cumpriria o mandato de quatro anos até o fim, em 2020.

Empate

 A pesquisa sobre intenção de voto dos eleitores mostra que Doria oscilou dois pontos para cima, chegando a 24%, enquanto que Skaf caiu três pontos, para 21%. Os números configuram empate técnico, já que a margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos.

Atrás deles aparece França, que, assim como Doria, oscilou dois pontos para cima: tinha 12% e passou para 14%. Luiz Marinho, outro que oscilou positivamente dois pontos, vem em seguida com 8% das intenções de voto.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.