Referência em Gramsci e Lukács

O cientista político e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Carlos Nelson Coutinho morreu às 6h30 de ontem, aos 69 anos, vítima de câncer no pulmão. Ele estava em casa, no bairro do Cosme Velho, zona sul do Rio.

FÁBIO GRELLET / RIO, O Estado de S.Paulo

21 de setembro de 2012 | 03h02

Livre-docente da Escola de Serviço Social da UFRJ, Coutinho é considerado um dos maiores especialistas no pensamento do filósofo húngaro György Lukács e do italiano Antonio Gramsci. É também autor de elogiada tradução para o português de O Capital, de Karl Marx.

Em nota, o reitor da UFRJ, Carlos Levi, manifestou pesar pela morte do professor. "Gramsciano de referência nacional e internacional, seu trabalho ajudou a formar pesquisadores e pensadores marcados pelo traço crítico essencial para a universidade e para a mudança social."

Coutinho publicou vários livros, como Gramsci, um Estudo sobre seu Pensamento Político e A Democracia como Valor Universal. Foi diretor-geral da Editora UFRJ entre 2003 e 2011 e, em junho, recebeu o título de professor emérito.

Nascido na cidade baiana de Itabuna em 28 de julho de 1943, o professor deixa mulher e filha. O corpo será cremado hoje de manhã no Cemitério do Caju.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.