Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Quero ver se ele já sai da turma do 1%, diz Marun sobre Meirelles

Presidenciável do MDB, Meirelles apresentou no máximo 1% das intenções de voto em pesquisas recentes, ao lado de nomes como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM)

Julia Lindner, Vera Rosa e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

13 Julho 2018 | 14h36
Atualizado 13 Julho 2018 | 17h31

BRASÍLIA - O ministro de Secretaria de Governo, Carlos Marun, afirmou, nesta sexta-feira, 13, esperar que o pré-candidato à Presidência pelo MDB, Henrique Meirelles, nas eleições 2018, "esteja se distanciando da turma do 1 (por cento) nas próximas pesquisas". "Quero ver se ele já sai da turma do 1", brincou Marun durante conversa com jornalistas.

++ Planalto intervém para evitar apoio do PP a Ciro nas eleições 2018

Em pesquisas recentes, Meirelles apresentou no máximo 1% das intenções de voto, ao lado de nomes como o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). Em algumas pesquisas, o ex-ministro nem chegou a pontuar. 

Marun afirmou que "é claro" que a greve dos caminhoneiros, que ocorreu entre maio e julho deste ano e gerou uma crise de abastecimento em todo o País, atrapalhou a pré-candidatura de Meirelles. "Atrapalhou a economia e não há dúvidas de que um ex-ministro da Fazenda tem na sua candidatura grande 'handicap' da economia", avaliou Marun.

O ministro evitou comentar se Temer subirá nos palanques da campanha de Meirelles. "O presidente vai governar. Se eu fosse candidato, gostaria de ter presidente Temer na minha campanha diretamente", respondeu ao ser questionado. O governo tem 79% de reprovação, segundo recente pesquisa Ibope, em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), e Temer é campeão no quesito impopularidade.

Na conversa, Marun destacou que Meirelles é o seu candidato na disputa, pois é quem melhor pode manter a política reformista defendida pelo governo Temer.  Em outro momento, ao falar sobre quem os partidos da base governista podem apoiar, disse que não precisaria ser apenas Meirelles, mas alguém que esteja alinhado aos princípios do governo. "(Geraldo) Alckmin não é meu candidato, prefiro Meirelles, acho que ele tem melhor condição, mas Alckmin, mesmo que não tenha tido posições claras, é outro tipo de candidato", afirmou ao fazer uma comparação com o candidato do PDT, Ciro Gomes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.