'Quem usou o meu nome que assuma', reage deputado

O deputado José Guimarães (PT-CE) reagiu enfaticamente à citação ao seu nome. Ele disse que "não conhece, nem nunca viu ou falou" com os empresários investigados. Negou influência nas nomeações da Cagece e disse que "não sabe absolutamente nada, nem da existência" da Allsan Engenharia. "Quem usou o meu nome que assuma. Não tenho interferência na Cagece, nunca acompanhei tramitação de contratos. Meu contato é com o governo do Estado como um todo, mas indicação para a presidência (da Cagece) não é minha. Nem indiquei dirigente." Ele destaca que é deputado influente no Ceará. "Tenho relação muito boa com o governador, mas jamais intermediei negócio." Afirma não conhecer o empresário Reynaldo Costa. A suposta propina de R$ 100 mil e a vinculação à palavra cueca deixaram Guimarães indignado. "Conjecturas. Não tem nada a ver uma coisa com as calças. É até sacanagem." A Cagece informou que a licitação seguiu o critério do menor preço, por comissão vinculada à Procuradoria-Geral do Estado e assevera que o diretor Antonio Alves não possui relação pessoal com Reynaldo Costa. / F.M.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.