'Quem usou o meu nome que assuma', reage deputado

O deputado José Guimarães (PT-CE) reagiu enfaticamente à citação ao seu nome na Operação Águas Claras. Ele afirmou que "não conhece, nem nunca falou" com os empresários investigados. Negou influência nas nomeações da Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) e disse que "não sabe absolutamente nada, nem da existência" da Allsan Engenharia.

O Estado de S.Paulo

14 de novembro de 2012 | 02h06

"Nunca falei com essa gente", declarou. "Eu não tenho conhecimento disso. Se alguém usou meu nome que assuma."

Ele é taxativo. "Não tenho influência na Cagece, não tenho interferência lá, nunca acompanhei tramitação de contrato. Meu contato é com o governo do Estado como um todo. Indicação para presidência da Cagece não é minha, nem de dirigente."

Sobre as menções ao seu nome, Guimarães desabafa. "Pode até ser que citem o meu nome, mas não tenho nada com isso. Eu sou um deputado influente no Ceará, tenho relação muito boa com o governador do Estado, mas jamais intermediei negócio. Eu não tenho contato com esse povo, nunca intermediei nada. Nunca ouvi falar dessa Allsan." Afirma não conhecer o empresário Reynaldo Costa.

A citação à propina de R$ 100 mil e à história da cueca deixou-o indignado. "Conjecturas. Não tem nada a ver uma coisa com as calças. É sacanagem."

A Cagece informou que a licitação obedeceu o critério do menor preço, por meio da Comissão Central de Concorrências (CCC), vinculada à Procuradoria-Geral do Estado. Seu valor máximo era de R$ 10,943 milhões - valor unitário de R$ 0,65 -, para serviços técnicos de leitura de medidores. Seis empresas participaram, 4 foram habilitadas.

O contrato foi assinado por R$ 8,94 milhões, preço unitário de R$ 0,59. Em quatro anos foi desembolsado média de R$ 3,88 milhões/ano, equivalentes a 6,5 milhões de contas lidas, faturadas, impressas e emitidas no período de 12 meses. A Cagece destacou que "possui relação de empresa tomadora de serviços e fornecedor". Sobre ligação de Reynaldo com Antonio Alves, o Cony, a companhia assinalou que seu diretor comercial não tem relação pessoal com o empresário. / F.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.