Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Qualificação do eleitor opõe Lula e Fernando Henrique

Dupla discute após frase do tucano segundo a qual quem vota no PT é ‘mal informado’; internautas criticam nordestinos

Luiz Guilherme Gerbelli e Roldão Arruda, O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2014 | 21h19

Os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso se envolveram nesta quarta-feira em mais uma polêmica eleitoral, dessa vez sobre a qualidade do voto no primeiro turno e a vitória do PT nos Estados do Nordeste. A polêmica teve origem na segunda-feira, quando, em entrevista aos blogueiros Josias de Souza e Mário Magalhães, do UOL, o ex-presidente tucano disse que o PT cresceu nos grotões do País e tem o voto dos “menos informados”.

No dia seguinte, no Facebook, Lula replicou com um post no qual disse, sem mencionar Fernando Henrique, que acha “um absurdo que o Nordeste e os nordestinos sejam caracterizados como ignorantes ou desinformados”. A tréplica do tucano foi direta: na quarta-feira, por meio de nota, disse que Lula “não se emenda, vive de pegadinhas”.

FHC disse que estava falando de nível educacional. “Ele quer transformar uma categoria do IBGE em insulto”, afirmou. “Daqui a pouco ele só será ouvido em programas humorísticos”.

A troca de acusações entre os dois ex-presidente tem como pano fundo um outro debate, sobre o mesmo tema, que corre de maneira muito mais ruidosa e agressiva nas redes sociais. Como aconteceu em 2010, mas agora com maior amplitude, logo após o término da apuração do primeiro turno começaram a ser reproduzidos nas redes comentários preconceituosos contra o resultado positivo do PT nos Estados do Nordeste. Já na segunda-feira, um dos sucessos na internet era uma página no Tumblr chamada Esses Nordestinos.

Na sucessão de ataques a favor e contra os nordestinos, o local virtual que mais chamou a atenção foi uma comunidade, com 97 mil participantes, autodenominada Dignidade Médica. De acordo com o cabeçalho de apresentação do grupo no Facebook, ele é formado “exclusivamente para classe médica e somente médicos ou estudantes de medicina”.

Na semana passada, entre outros post sobre o voto nordestino que apareceram no grupo, um deles dizia: “70% de votos para Dilma no Nordeste! Médicos do Nordeste causem um holocausto por aí! Temos que mudar essa realidade.”

O post teve tanta repercussão e tantas críticas que na quarta-feira o Conselho Federal de Medicina (CRF) chegou a emitir uma nota, na qual afirma que repudia “qualquer comentário ou ação que denote preconceito por conta de etnia, origem geográfica, gênero, religião, classe social, escolaridade, orientação sexual ou posicionamento ideológico, entre outros”.

A candidata Dilma Rousseff também entrou na polêmica. Sem se referir diretamente a FHC ou às manifestações nas redes sociais, ela tuitou quarta-feira a seguinte mensagem: “Espero que o povo do Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sul e Sudeste seja igualmente respeitado”.

Justiça. Mas o PT pretende ir além, dando mais ressonância à polêmica. Em São Paulo, o presidente do diretório estadual, Emidio Souza, pediu ao setor jurídico do partido que estude medidas legais contra as manifestações preconceituosas. Segundo o advogado Marco Aurélio de Carvalho, que coordena a área jurídica, elas devem ser anunciadas neste quinta-feira./COLABOROU RICARDO GALHARDO

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesLulaFHC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.