'Qual foi o favor que FHC fez a Dilma?', provoca Cid Gomes

Incorporado ao papel de cabo eleitoral da reeleição da presidente Dilma Rousseff, o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), saiu em defesa da petista, dizendo que ela não é "ingrata" com os tucanos porque nunca recebeu "favores" deles. Cid e Dilma se reuniram ontem no Planalto por duas horas para tratar da "rotina administrativa", segundo o governador.

RAFAEL MORAES MOURA/ BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

27 de fevereiro de 2013 | 02h10

A declaração foi uma resposta ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, segundo quem Dilma é "ingrata" e "cospe no prato em que comeu" ao não reconhecer as realizações na economia de sua gestão, entre 1995 e 2002.

"Achei esquisitíssima a declaração. Se o Fernando Henrique tivesse feito algum favor a Dilma, ele teria algum motivo para dizer que ela é ingrata. Mas qual foi o favor que o Fernando Henrique fez a Dilma? Nenhum", disse Cid ao sair do Palácio do Planalto. "Fernando Henrique era uma pessoa de pensamento social-democrata, ele se rendeu completamente ao neoliberalismo quando assumiu a Presidência da República. E causou muito mal ao Brasil, ele endividou demais o Brasil, ele vendeu boa parte do patrimônio brasileiro, estou falando de Vale, do conjunto de elétricas, as telefônicas, e deixou uma dívida maior do que a que encontrou", afirmou. "Ninguém podia fazer nada sem pedir permissão ao FMI, a dívida do País estava num patamar dos mais elevados e o patrimônio do País, reduzido a um terço, com a farra privatista que o FHC fez", disse Cid,

Petista. Presidente nacional do PT, o deputado estadual paulista Rui Falcão também respondeu às críticas de FHC a Dilma.. "O ex-presidente Fernando Henrique confunde a boa educação da Dilma, como se isso fosse nos fazer esquecer o estado em que encontramos o Brasil", disse Falcão via assessoria de imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.