PV registra agressão contra militantes do PMDB

Segundo o presidente do PV de Madureira, cabos-eleitorais jogaram-no no chão

Luciana Nunes Leal, Agência Estado

11 de outubro de 2008 | 16h58

O candidato do PV à prefeitura do Rio, Fernando Gabeira, esteve na tarde de ontem na 29ª DP (Madureira), para acompanhar os correligionários que registraram queixa de agressão ao militante Francisco Miranda, de 66 anos. Presidente do PV de Madureira, ele foi agredido por cabos eleitorais do candidato do PMDB, Eduardo Paes, que não foram identificados. Segundo Francisco, um grupo com camisetas e material de campanha do PMDB jogou-o no chão e rasgou uma bandeira.   Veja Também: DEM fecha apoio e Gabeira diz que partido é 'bem-vindo' Especial: Perfil dos candidatos no Rio   Vereador digital: Depoimentos e perfis de candidatos em São Paulo   Tire suas dúvidas sobre as eleições   Gabeira tem enfrentado hostilidade de militantes adversários em subúrbios da cidade desde que, na última quarta-feira, foi flagrado em conversa por telefone na qual dizia que a vereadora Lucinha (PSDB), a mais votada do Rio, está "de salto alto", é "analfabeta política" e que tem "visão suburbana".   Lucinha é contra a construção de um aterro sanitário em Paciência. Na sexta-feira, Gabeira fez uma nota oficial com pedidos de desculpas à vereadora. PSDB está coligado com o PV no Rio.   Correligionários de Eduardo Paes têm usado camisetas com a inscrição "Sou carioca, sou suburbano. Respeite". "Nós somos capazes de enfrentar coisas muito piores do que um bando de bandidos do PMDB", reagiu Gabeira ao deixar a delegacia. O militante do PV foi encaminhado para exame de corpo de delito e o incidente será investigado pela Polícia Federal, por se tratar de possível crime eleitoral.   Eduardo Paes, que fez campanha em Madureira, Paciência e vários outros bairros da periferia na manhã de ontem, repudiou a agressão. "É inaceitável. Eu e o candidato Gabeira estamos fazendo um debate político. Se alguém fez isso, tem que ser punido", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.