PTB diz que não indicará nome a ministério

A Executiva Nacional do PTB decidiu ontem não indicar nome para compor o governo da presidente Dilma Rousseff na reforma ministerial deste ano. A decisão ocorre um dia após o PMDB na Câmara se rebelar e tomar a mesma iniciativa, de não querer indicar ninguém para integrar a equipe do governo.

Erich Decat, João Domingos e Tânia Monteiro / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

07 de fevereiro de 2014 | 02h07

"O PTB abre mão da indicação. Não foi chamado oficialmente, mas, se for, não vai indicar", disse o presidente da sigla, Benito Gama - ele era cotado para assumir o Turismo. Apesar da decisão, Gama afirmou que o PTB continuará apoiando a candidatura à reeleição de Dilma.

Com a reforma parada por causa da rebelião do PMDB, Dilma recorreu a seus gurus políticos: ela recebeu ontem o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP) e, semana que vem, deve encontrar seu padrinho Lula. De Sarney, Dilma ouviu a ponderação para que tenha paciência com o PMDB, porque não haveria risco de rompimento de relações do partido com o governo.

O líder do PMDB na Câmara, Eduardo Cunha (RJ), disse, porém, que o partido será fiel para evitar prejuízos fiscais, mas que, em outros casos, verá o que fazer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.