PT vai para estratégia 'de casa em casa' em SP

Partido busca reverter votação abaixo do esperado no primeiro turno com conversas com a população dos bairros e cidades onde Marina teve boa votação

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

20 de outubro de 2014 | 15h27

São Paulo - O PT prepara uma ofensiva em São Paulo nesta semana que antecede a eleição para tentar atrair os votos que Marina Silva obteve no 1º turno. A ideia é fazer campanha à moda antiga, indo de casa a casa, parar tentar convencer o eleitor da então candidata do PSB a votar na presidente Dilma Rousseff.

"A nossa estratégia é conversar olho no olho, ir para a rua, sobretudo naqueles bairros e cidades que tiveram uma grande votação na Marina, nulo ou branco", disse o ex-ministro Alexandre Padilha, que perdeu a disputa pelo governo de São Paulo.

Na avaliação dos petistas, o problema enfrentado pelo partido no maior colégio eleitoral do País não foi motivado pelo número de votos obtidos pelo tucano Aécio Neves, mas sim pela votação expressiva de Marina nas urnas. 

"Nós vamos disputar voto a voto. A gente sabe que o avanço aqui em São Paulo vai ajudar na eleição nacional", afirmou Padilha.

O PT registrou no 1º turno um dos seus piores resultados em São Paulo, berço político da sigla. Enquanto Aécio ficou com 44,2% e Marina com 25,1%, Dilma obteve 25,8% dos votos válidos. Além disso, Padilha teve um desempenho abaixo da média da sigla no Estado e o senador Eduardo Suplicy não conseguiu se reeleger.

Dilma perdeu, por exemplo, ir em cidades simbólicas para o PT, como São Bernardo, Santo André, Osasco e Guarulhos e em bairros da periferia da capital. São nesses locais que o PT vai concentrar as suas fichas, esta semana para tentar resgatar um eleitor que historicamente vota no PT.

No fim de semana, o PT recebeu o reforço do governador da Bahia, Jaques Wagner, e do governador eleito pelo Piauí, Wellington Dias, para fazer campanha em São Paulo. Eles visitaram bairros da zona leste e sul da capital, regiões que concentram um grande número de nordestinos. 

Na segunda-feira, Dilma e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participam de um encontro com jovens da periferia, em Itaquera, para um evento sobre cultura.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesPTDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.