PT quer tirar ministro que pode ser ameaça no Ceará

Leônidas Cristino, dos Portos e afilhado dos Gomes, é possível candidato ao governo do Estado em 2014 pelo PSB

EUGÊNIA LOPES, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2012 | 02h02

Derrotado nas urnas na disputa pela prefeitura de Fortaleza, o PT do Ceará começa a trabalhar para a saída do governo do ministro dos Portos, Leônidas Cristino, na reforma ministerial que será promovida pela presidente Dilma Rousseff. Assim como o futuro prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PSB), o ministro é afilhado político dos irmãos Ferreira Gomes - o governador do Ceará, Cid Gomes, e o ex-ministro Ciro Gomes. Leônidas é um dos possíveis candidatos à sucessão de Cid, em 2014.

Integrantes do PT cearense garantem que a presidente Dilma está muito "insatisfeita" com a performance de Leônidas à frente da pasta dos Portos. Sua eventual substituição vai acirrar ainda mais o clima de descontentamento dos Gomes com o PT.

Ciro ficou profundamente magoado com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que, no 2.º turno, foi a Fortaleza fazer campanha para o candidato do PT, Elmano de Freitas. O ex-ministro declarou que Lula foi "muito incorreto" com ele nas eleições de Fortaleza.

Assim como os socialistas, o PT também pretende lançar candidato ao governo do Estado, rompendo uma aliança de quase oito anos. O nome da atual prefeita petista de Fortaleza, Luizianne Lins, é o mais lembrado para entrar na corrida estadual. Mas ela perdeu força dentro do partido após o fracasso de seu candidato, Elmano de Freitas, na eleição de domingo. "Foi um duríssimo golpe", diz o deputado José Guimarães (PT-CE).

Abalada, Luizianne evitou aparições e declarações, deixando de se solidarizar publicamente com Elmano. Ele subiu no palanque sozinho no domingo à noite para, diante da militância, lamentar a derrota. A eleição de Elmano era vital para turbinar desde já a candidatura de Luizianne, em 2014.

Dividido, o PT cearense engalfinha-se entre várias tendências que, agora, vão dificultar as pretensões políticas da prefeita que se elegeu, em 2004, à revelia do partido. Na época, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apoiou o candidato do PC do B e hoje senador Inácio Arruda. Paralelamente ao fracasso pessoal, Luizianne também acabou impondo uma derrota a Lula, que pediu pessoalmente votos para Elmano.

O xadrez político da sucessão cearense não passa apenas pelo PT e o PSB. O PMDB também pretende lançar candidato ao governo estadual daqui a dois anos. O senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) aposta que seu nome contará com o apoio dos Ferreira Gomes. Não é à toa que Eunício foi fiador desde o início da candidatura de Roberto Cláudio, indicando seu sócio e vice-presidente do PMDB no Ceará Gaudêncio Lucena para ser o vice na chapa encabeçada pelo socialista. Apesar dos esforços de Eunício, interlocutores dos irmãos Gomes têm sérias dúvidas se, em 2014, a dupla vai optar por lançar um candidato do PSB ou se realmente vai apoiar a candidatura do peemedebista.

No curto prazo, o PT terá de decidir se mantém ou não os três secretários que ocupam cargos na administração de Cid Gomes. Apesar dos acenos de Cid favoráveis à manutenção da aliança com os petistas, a tendência é que o partido deixe a base de apoio de seu governo. A avaliação é que a disputa pela prefeitura de Fortaleza deixou marcas profundas.

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.