'PT perdeu legitimidade', diz prefeito do Recife

Disposto a "lutar até o fim" para ser candidato à reeleição, o prefeito petista João da Costa faz coro com o governador Eduardo Campos (PSB), para quem o PT perdeu a condição de coordenar a sucessão no Recife. "A forma de conduzir o processo está levando o PT a perder essas condições", disse, em entrevista a uma rádio local, ao reafirmar que não descarta a possibilidade de entrar na Justiça Eleitoral para garantir seu direito.

ANGELA LACERDA / RECIFE, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2012 | 03h01

"Minha candidatura é consistente, temos condições de vencer a disputa, fazemos um governo melhor a cada dia", disse o prefeito, que aguarda, no dia 25, o julgamento do recurso impetrado à Direção Nacional do PT contra decisão da executiva de impor o senador Humberto Costa como candidato, que foi homologado também pelo diretório municipal.

João da Costa disputou e venceu prévia, depois anulada, com o deputado federal Maurício Rands, no dia 20. Nova prévia foi marcada, mas Rands, atendendo à direção nacional, renunciou em nome de Humberto Costa. João da Costa manteve a candidatura e luta para ser reconhecido candidato, o que "seria natural" diante da desistência de Rands. "Não adianta tratar as coisas sem conversar, sem ser pela política", disse o prefeito.

Humberto Costa, da tendência Construindo um Novo Brasil (CNB), tem apoio do ex-presidente Lula, que já se comprometeu a participar da campanha. Ele confia que ainda vai costurar a unidade do PT e dos partidos aliados da Frente Popular, comandada por Campos.

Tudo o que sabemos sobre:
Eleições 2012RecifePTHumberto Costa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.