PT 'não deve aceitar pecha de corrupto', diz ministro

No encontro de prefeitos da sigla, Gilberto Carvalho reage a críticas da oposição de que PT é 'partido da boquinha'

JOÃO DOMINGOS / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2013 | 02h07

Depois de prever, no final do ano passado, que em 2013 "o bicho vai pegar" na disputa partidária, o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, afirmou ontem, durante o encontro com prefeitos do PT, que os petistas não podem aceitar as provocações dos partidos de oposição.

"É muito importante que a gente não baixe a cabeça, não aceite a pecha de que o PT é o partido que inventou a corrupção, governa mal ou é o partido da boquinha", disse o ministro, referindo-se às recentes críticas da oposição.

Carvalho disse que todos os petistas devem ter orgulho dos dez anos de governo do partido. "Estamos vivendo momento muito difícil nessa transição. O tom mudou nos últimos tempos. Na medida em que nós começamos a mexer com o capital, a baixar juros, a mexer com energia elétrica, a diminuir lucros, o humor mudou completamente", prosseguiu Carvalho.

"Quem lê os editoriais dos jornais tem a impressão de que o Brasil está indo à bancarrota, de que a economia está quebrada, que há apagão. Vai ser assim o ano todo, até o ano que vem", disse ainda.

Segundo Gilberto Carvalho, "foi o PT que teve a coragem de criar uma nova cultura política no País". Afirmou que foram os petistas que criaram a transparência nas administrações públicas. "Vamos para o debate político, ocupar, dar o combate, porque só assim nós vamos fazer frente a essa grande oposição, a essa tentativa de acabar com o nosso projeto nas eleições do ano que vem."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.