PT espera inscrição de candidatos em prévia

A uma semana do prazo, só Zarattini entregou lista de apoio; Haddad e Tatto fixam data para enviar assinaturas e Marta diz ter mínimo de nomes

Julia Duailibi, de O Estado de S.Paulo

01 de novembro de 2011 | 03h00

A uma semana do prazo final de inscrição nas prévias do PT para disputar a Prefeitura de São Paulo, apenas um dos cinco pré-candidatos do partido apresentou as assinaturas necessárias para o registro na eleição interna. Outros dois candidatos, no entanto, já marcaram as datas de entrega dos nomes. De acordo com as regras da legenda, para uma pessoa disputar a prévia partidária, são necessárias assinaturas de, pelo menos, 3.181 filiados.

Apesar de a direção do partido estar preparando a disputa para ser realizada no dia 27 de novembro, as prévias ainda são vistas com certa desconfiança no PT, cenário agravado agora com o tratamento de saúde do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Os aliados do ministro Fernando Haddad (Educação) dizem que querem a entrada dele na eleição interna para legitimar sua escolha como candidato de Lula, mas, para outras correntes do partido, a defesa das prévias seria mera retórica e já há articulação nos bastidores a favor da unidade em torno do nome de Haddad.

A ex-prefeita Marta Suplicy ainda não tornou pública a data de entrega das 3.181 assinaturas, o que alimentou rumores de que, sem o apoio interno no partido e isolada por causa do crescimento da pré-candidatura de Haddad, ela não vai se inscrever na disputa.

O Estado apurou, no entanto, que Marta pretende apresentar as assinaturas na próxima segunda-feira, prazo limite para o registro. Segundo interlocutores da ex-prefeita, ela já tem os nomes necessários. A articulação de Lula em favor de Haddad acuou o grupo de parlamentares próximos a Marta, que defende agora sua retirada da disputa.

Dos pré-candidatos, apenas o deputado Carlos Zarattini apresentou as assinaturas necessárias. Haddad deve entregar a inscrição ainda hoje, e o deputado Jilmar Tatto disse que pretende apresentar a lista de apoios na segunda-feira. O senador Eduardo Suplicy não informou quando vai apresentar a lista, mas afirma continuar firme no seu propósito de concorrer.

Roda Viva. À noite, em entrevista ao programa Roda Viva, da TV Cultura, em que foi sabatinado sobre os problemas envolvendo o Enem, Haddad foi provocado a se posicionar sobre sua pretensão de disputar a Prefeitura. Ele se recusou a avaliar a força de seu nome diante do risco de o presidente Lula, principal patrocinador de sua candidatura, não poder se envolver a fundo na campanha municipal do ano que vem.

"O único pensamento que me passa pela cabeça é torcer pelo pronto restabelecimento do presidente Lula", disse. Segundo ele, "qualquer cálculo" eleitoral a partir desse raciocínio "seria no mínimo desprezível".

Haddad foi então chamado a atribuir uma nota de zero a 10 a suas chances na disputa paulistana. "É difícil dizer porque é a primeira eleição de que participo desde a eleição para o Centro Acadêmico 11 de Agosto", observou, referindo-se à sua única e bem-sucedida empreitada nas urnas. "Se considerar a minha experiência em eleições, é 10".

Tudo o que sabemos sobre:
eleições 2012prévias pt

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.