PT e PSDB trocam novas críticas sobre 'heranças'

Um dia depois de Dilma Rousseff rebater artigo de Fernando Henrique Cardoso, PT e PSDB prosseguiram no bate-boca sobre heranças "benditas" e "malditas".

JOÃO DOMINGOS , EDUARDO BRESCIANI / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2012 | 03h06

Texto publicado na página do PSDB na internet afirma que "a democracia brasileira, conquistada a duras penas, pressupõe o contraditório, coisa com a qual o PT não consegue lidar bem. Só isso justifica o grande incômodo provocado no último fim de semana pelo artigo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, no qual ele dá exemplos da herança pesada herdada do governo Lula pela presidente Dilma Rousseff". No domingo, FHC publicou artigo no Estado no qual disse que Lula havia deixado para Dilma uma "herança pesada", com escândalos, como o mensalão, e ministros que foram demitidos por corrupção.

Para os tucanos, causou surpresa a reação da presidente Dilma Rousseff, "que - cedendo às pressões de seu partido - acabou se excedendo na defesa do legado recebido de seu antecessor. Infelizmente, usando os mesmos métodos utilizados pelo ex-presidente Lula: este sim um especialista em tentar reescrever a história brasileira de acordo com suas conveniências".

Entre os petistas, a resposta de Dilma a FHC significou um recado para a militância, de que ela não aceita as investidas dos tucanos para tentar fazê-la se afastar do ex-presidente Lula. "O Fernando Henrique tentou descolar a Dilma do Lula e o tiro dele saiu pela culatra. Ela mostrou que tem lado, que o governo é de continuidade", destacou o líder do PT, Jilmar Tatto (SP).

Na resposta a FHC, Dilma levantou suspeitas sobre a aprovação da emenda da reeleição, em 1997. Os tucanos afirmaram que, se dependesse apenas dos petistas, Lula tentaria aprovar um terceiro mandato.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.